Homossexualidade masculina na “vila” Santa Luzia: comportamentos não-normativos e alegações para expulsão (Porto Alegre, década de 1950)

Autores

Palavras-chave:

Relações Sociais de Dominação e Resistência

Resumo

O estudo aborda a forma como a homossexualidade masculina nas “vilas de malocas” – agrupamentos pauperizados de moradias populares – foi representada em relatório administrativo da prefeitura de Ildo Meneghetti, em Porto Alegre, na primeira metade da década de 1950. Constata-se que, sob um viés moralista, a sexualidade desviante foi considerada abjeta e, mais do que isso, aproximada à realidade da “maloca”, ela, também, impregnada de atributos pejorativos. Diante disso, a existência de comportamentos não-normativos, a par da prostituição e do alcoolismo, foram utilizados como justificativa para expulsões das regiões centrais da cidade. Todavia, argumenta-se ainda que esses “motivos” constituíam meros pretextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo de Azevedo Weimer, Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul

Graduado em História pela UFRGS. Mestre em História pela UNISINOS. Doutor em História pela UFF. Pós-doutorado em História pela UNISINOS. Foi Analista Pesquisador em História na Fundação de Economia e Estatística. Historiador no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

2019-08-14

Como Citar

WEIMER, R. de A. Homossexualidade masculina na “vila” Santa Luzia: comportamentos não-normativos e alegações para expulsão (Porto Alegre, década de 1950). Revista Aedos, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 32–48, 2019. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/92319. Acesso em: 5 jul. 2022.