Triângulos Rosa: A diversidade memorial dos prisioneiros homossexuais no Holocausto

Autores

  • Karen Pereira da Silva UFRGS

Resumo

Este artigo explora as diferentes vivências de três homossexuais deportados para campos de concentração – Josef Kohout (austríaco, campos de Sachsenhausen e Flossenbürg), Pierre Seel (francês, campo de Schirmeck-Vörbuck) e Rudolf Brazda (tcheco, campo de Buchenwald) – e como estes exerceram sua sexualidade nestes locais, e como a partir disso, foram inseridos numa complexa rede de hierarquia e poder que existiu neste contexto de situações-limite. Faremos esta análise a partir do conceito de diversidade memorial, utilizado pelo sociólogo Michael Pollak (1948-1992), demonstrando as diferentes experiências e percepções que as vítimas tiveram diante deste evento traumático, o que também acabou se refletindo em seus testemunhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-08-14

Como Citar

PEREIRA DA SILVA, K. Triângulos Rosa: A diversidade memorial dos prisioneiros homossexuais no Holocausto. Revista Aedos, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 80–102, 2019. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/92265. Acesso em: 5 jul. 2022.