Portas que acolhem: o enjeitamento como proteção na freguesia da Cidade do Natal e outros sítios ibéricos (séculos XVIII e XIX)

Autores

  • Thiago do Nascimento Torres de Paula Secretaria Estadual de Educação e Cultura do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Freguesia. Recém-nascido. Enjeitado

Resumo

O objetivo desta pesquisa é, demonstrar como a prática do enjeitamento foi utilizada como uma estratégia de proteção a um determinado número de recém-nascidos na freguesia da Cidade do Natal, incluindo outras localidades do mundo ibérico, entre os séculos XVIII e XIX. As principais fontes examinadas foram: a documentação serial de batismo e óbito da freguesia; os testamentos do termo da Cidade do Natal e documentos elaborados por autoridades portuguesas na América e no reino. Os procedimentos aplicados estão associados a quantificação sistemática e transcrição de informações. Por fim, todo material empírico foi lido e analisado à luz da história social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago do Nascimento Torres de Paula, Secretaria Estadual de Educação e Cultura do Rio Grande do Norte

Doutor em História pela UFPR (2016), Mestre em História pela UFRN (2009), Bacharel e Licenciado em História pela UFRN (2005). Colaborador do LEHS/UFRN (Laboratório de Experimentação em História Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte). Atualmente desenvolve Estágio Pós-Doutoral em Educação no PPGED/UFRN.

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

DE PAULA, T. do N. T. Portas que acolhem: o enjeitamento como proteção na freguesia da Cidade do Natal e outros sítios ibéricos (séculos XVIII e XIX). Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 482–507, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/87000. Acesso em: 13 ago. 2022.