A violência simbólica e o antifeminismo: uma análise da revista Era Nova (Parahyba, 1920)

Autores

  • Vitória Diniz de Souza

Palavras-chave:

Antifeminismo, Imprensa, Violência Simbólica

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar os discursos antifeministas que surgiram na imprensa no início do século XX, que baseados em representações pejorativas, participaram da elaboração de estigmas sobre as feministas e seus ideais. Enquanto essas mulheres lutavam por direitos, diferentes discursos foram construídos sobre elas na tentativa de desqualificá-las. A fonte analisada será a revista Era Nova (1921-1926), periódico literário e noticioso que circulou na Paraíba. Essa pesquisa procura analisar esses discursos como formas de violência simbólica, a partir dos estudos de Rachel Soihet, Pierre Bourdieu e Roger Chartier. Estabelecendo um diálogo com os estudos de Gênero, com a História das Mulheres e com a História Cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitória Diniz de Souza

Graduada em História pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), com interesses nas áreas de História Cultural, com enfase nos Estudos de Gênero e História das Mulheres.

Downloads

Publicado

2019-08-14

Como Citar

DINIZ DE SOUZA, V. A violência simbólica e o antifeminismo: uma análise da revista Era Nova (Parahyba, 1920). Revista Aedos, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 367–387, 2019. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/83193. Acesso em: 1 jul. 2022.