A História em espiral: compreendendo a receptividade brasileira à imigração haitiana a partir de suas determinações.

Autores

  • Suélen Cristina de Miranda Doutoranda e Mestre em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Palavras-chave:

Migração, Brasil, Haiti.

Resumo

Esse artigo tem como objetivo compreender a criação histórica do mito que descreve o Brasil como um país acolhedor e receptivo à imigração, baseando-se na imigração haitiana para demonstrar que essa imagem omite, na verdade, a seletividade branca e europeia, característica da formação do “povo brasileiro” e ainda extremamente presente na forma de preconceitos e xenofobias que dificultam uma inserção cidadã do migrante. Fundamentando-se na perspectiva da “Psicologia Social Crítica”, esse estudo propõe a desnaturalização do termo migrante, considerando a percepção singular de cada grupo com relação às determinações históricas, sociais e culturais envolvidas tanto no país de origem quanto no lugar de destino. Assim, espera-se que as reflexões aqui propostas possam contribuir para a compreensão de fenômenos que se mostram cada vez mais relevantes para a construção de uma sociedade mais igualitária, na qual a utopia de um projeto alternativo de possibilidades de vida esteja acessível a todos e o reconhecimento do outro seja realizado com base no consenso e respeito pela alteridade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-09-11

Como Citar

MIRANDA, S. C. de. A História em espiral: compreendendo a receptividade brasileira à imigração haitiana a partir de suas determinações. Revista Aedos, [S. l.], v. 10, n. 22, p. 29–52, 2018. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/82960. Acesso em: 28 nov. 2022.