XINTOÍSMO DE ESTADO: ENTRE O IMPERIALISMO E A IMIGRAÇÃO JAPONESA PARA O BRASIL

Autores

  • Leonardo Luiz

Resumo

O xintoísmo de Estado foi um importante elemento da organização social japonesa a partir da Restauração Meiji até o final da Segunda Guerra Mundial, esse xintoísmo exerceu um papel central na vida dos japoneses, inclusive entre aqueles que, em 1908, participaram do processo migratório para o Brasil. A ampla atuação do Estado xintoísta forneceu as bases para a formação de um habitus que perpassou as práticas japonesas por um longo período. Tendo em vista esse processo, buscamos discutir de que forma o xintoísmo de Estado atuou nas escolas japonesas, sugerindo a hipótese de que o mesmo conjunto de ideias que legitimou o processo imperialista estava presente, na forma de habitus, entre os imigrantes no Brasil. Propomos como recorte de análise as práticas nacionalistas que foram reproduzidas no Brasil, tendo como fonte o Edito Imperial de Educação (Kyoiku Chokugo) que foi lido nas escolas japonesas até a década de 1980, enquanto que no próprio Japão o Kyoiku Chokugo foi abolido após a Segunda Guerra Mundial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-09-11

Como Citar

LUIZ, L. XINTOÍSMO DE ESTADO: ENTRE O IMPERIALISMO E A IMIGRAÇÃO JAPONESA PARA O BRASIL. Revista Aedos, [S. l.], v. 10, n. 22, p. 199–218, 2018. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/80325. Acesso em: 2 dez. 2022.