A História do Tempo Presente, o método comparativo e o debate sobre os fascismos

Autores

  • Karl Schurster UPE - Universidade do estado de Pernambuco e UFPE - Universidade Federal de Pernambuco.

Palavras-chave:

Tempo Presente, História Comparada, Fascismos, Nazismo.

Resumo

Este artigo tem como objetivo um estudo sistemático sobre a abertura de um novo campo disciplinar na Europa, no final dos anos 1970 do século passado, chamado de história do tempo presente. Através de uma forte influência da historiografia alemã, em especial a Alltagsgeschichte, a historiografia francesa, com a direção do professor François Bédarida, cambia do Comitê de Altos Estudos da Segunda Guerra Mundial para a criação do Instituto de História do Tempo Presente, em Paris, tendo com sua matriz inicial as grandes guerras mundiais. Nosso foco, nesse artigo, é não só percorrer os caminhos teóricos propostos pelos estudos em história do tempo presente, mas procurar entender sua relação com a metodologia comparativa, partindo do pressuposto de que toda história do tempo presente é história comparada, e da relação desse campo disciplinar com os estudos dos fascismos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karl Schurster, UPE - Universidade do estado de Pernambuco e UFPE - Universidade Federal de Pernambuco.

possui graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade de Pernambuco (2005), Mestrado em História Social da Cultura Regional na Universidade Federal Rural de Pernambuco(2008), Doutorado em História Comparada na Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ com estágio de pesquisa na Freie Universität Berlin e Pós Doutorado na Universidade Federal Rural de Pernambuco com estágio internacional na Universidade Nacional de la Plata/Argentina.Pesquisador do Grupo de Estudos Sociocultural da América Latina onde coordena a linha História do Tempo Presente. Tem experiência na área de Teoria da História e História Contemporânea e Teoria da História com ênfase em História do Tempo Presente, História Política, História da Alemanha (século XX e XXI) e Política Internacional (conflitos). É um dos organizadores das obras O Brasil, Segunda Guerra Mundial, Campos da Política: praticas e discursos, Caminhos da Integração Sul Americana, dentre outras. Participa como historiador convidado do projeto "1914-1918-online. International Encyclopedia of the First World War" organizado pela Freie Universität e pelo Friedrich-Meinecke-Institut. É filiado a rede International Network for Theory of History com representantes de todos os continentes. Desenvolve pesquisa no campo da teoria da história e da historiografia do tempo presente com ênfase comparativa entre Europa e América do Sul. Também se dedica ao estudo comparado das ditaduras europeias das décadas de '30 e '40 e da historiografia alemã contemporânea. É professor permanente do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Pernambuco, em Gestão do Desenvolvimento Local Sustentável da Universidade de Pernambuco e Adjunto de Teoria e Metodologia da História da Universidade de Pernambuco. Atualmente é bolsista do Instituto Yad Vashem em Jerusalém/Israel onde desenvolve pesquisa sobre a memória do Holocausto e coordena o curso de graduação em História da Universidade Estadual de Pernambuco e professor colaborador do Programa de Pós Graduação em Relações Internacionais da Universidade Nacional de La Plata/Argentina. 

Downloads

Publicado

2015-07-20

Como Citar

SCHURSTER, K. A História do Tempo Presente, o método comparativo e o debate sobre os fascismos. Revista Aedos, [S. l.], v. 7, n. 16, p. 423–440, 2015. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/52894. Acesso em: 30 jun. 2022.