Mulheres de papel: Espaço feminino e abolicionismo no romance A Cabana do Pai Tomás

Autores

  • Marcelle Danielle de Carvalho Braga Universidade Federal de Ouro Preto

Palavras-chave:

Estados Unidos, literatura, escravidão

Resumo

O livro A Cabana do Pai Tomás, de Harriet Beecher Stowe, teve grande repercussão nos EUA desde 1851. Esse romance ficou conhecido por seu caráter abolicionista, porém destacamos aqui que este também pensou o lugar das mulheres na sociedade, na família e no Estado.  As representações das mulheres ofereciam um espaço de agência alargado, ressaltando a capacidade destas em desenvolver papéis que lhes eram, no momento, negados. Stowe criticou a restrição das mulheres à esfera doméstica, defendendo que elas eram dotadas de qualidades específicas que as tornariam mais habilidosas para solucionar questões de escalas maiores. Não negamos que a escravidão foi o tema chave do texto, mas defendemos que foi utilizada também para evidenciar a potencialidade das ações femininas. E o título deste artigo, “Mulheres de papel”, seria exatamente porque nós pensaremos quais os tipos de mulheres que Stowe construiu no romance ao abarcar estes temas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-07-07

Como Citar

BRAGA, M. D. de C. Mulheres de papel: Espaço feminino e abolicionismo no romance A Cabana do Pai Tomás. Revista Aedos, [S. l.], v. 6, n. 14, 2014. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/41502. Acesso em: 12 ago. 2022.