O DESPACHO PARA O URUGUAI DE BENS LEGALISTAS DURANTE A GUERRA CIVIL RIO-GRANDENSE (1835-1845)

Autores

  • Anderson Marcelo Schmitt UPF

Palavras-chave:

Relações de Poder Político-Institucionais.

Resumo

Neste artigo, apresenta-se o resultado parcial da pesquisa em desenvolvimento no trabalho de Mestrado, que analisa aspectos da Guerra dos Farrapos, ocorrida entre 1835 e 1845 na província do Rio Grande do Sul. O objetivo central deste trabalho é analisar de que forma ocorreu o comércio com o Uruguai dos bens confiscados pelos rebeldes farroupilhas durante a guerra civil rio-grandense. Através deste comércio, as propriedades dos defensores imperiais se configuraram como a principal fonte de recursos para que os rebeldes farroupilhas conseguissem se manter em armas contra o Império brasileiro. A fronteira com o vizinho da banda oriental do Uruguai se conformou como interessante ponto de comércio para bens confiscados pelos liberais do Rio Grande do Sul, que do outro lado da fronteira encontravam os objetos necessários para a luta armada. A utilização destas propriedades não obteve maior sucesso devido aos abusos cometidos por lideranças farroupilhas, que se aproveitavam da falta de fiscalização sistemática para obter proveito para si próprios.

Palavras-chave: Guerra dos Farrapos. Comércio com Uruguai. Confiscos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Marcelo Schmitt, UPF

Aluno do Mestrado em História Regional pela Universidade de Passo Fundo/UPF.

Downloads

Publicado

2013-09-01

Como Citar

SCHMITT, A. M. O DESPACHO PARA O URUGUAI DE BENS LEGALISTAS DURANTE A GUERRA CIVIL RIO-GRANDENSE (1835-1845). Revista Aedos, [S. l.], v. 5, n. 12, 2013. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/36966. Acesso em: 1 fev. 2023.