Entre a ciência e a política: o caso da Faculdade de Medicina de Porto Alegre (1898-1932)

Autores

  • Diego Speggiorin Devincenzi UFRGS

Palavras-chave:

história da medicina, ensino médico, Faculdade, Porto Alegre

Resumo

Esse artigo analisa o processo de institucionalização do ensino médico do Rio Grande do Sul, a partir da fundação da Faculdade de Medicina de Porto Alegre (FMPA), em 1898, com foco na relação da referida instituição e o Estado. Tal proposta se faz necessária porque nesse âmbito se dava a discussão acerca da  estruturação administrativa e didático-pedagógica da Faculdade e de outras escolas médicas no Brasil. Assim,  leis, propostas de regulamentos e programas da área eram objetos de debate entre médicos e políticos, quando    eles não se confundiam. Pois, alguns membros da congregação, além de recorrerem a aspectos técnico-escolares,  valeram-se de seus vínculos e crenças político-partidárias para agirem nesse processo em defesa de uma forma  de gestão para a FMPA, e, consequentemente, um modelo de ensino médico. Desse modo, procurei traçar a forte  relação existente no período entre o ensino da medicina e a política, apresentando elementos para a definição do primeiro que possui aspectos mais amplos do que aqueles vinculados apenas ao “mundo acadêmico”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Speggiorin Devincenzi, UFRGS

Atualmente é mestre em história da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de História, com ênfase em história regional, atuando principalmente nos seguintes temas: história da saúde, história política, museologia e educação patrimonial.

 

Downloads

Publicado

2013-09-01

Como Citar

DEVINCENZI, D. S. Entre a ciência e a política: o caso da Faculdade de Medicina de Porto Alegre (1898-1932). Revista Aedos, [S. l.], v. 5, n. 12, 2013. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/36739. Acesso em: 1 fev. 2023.