Negros a bumbar: Boi Caprichoso, sociabilidade e resistência em Manaus (décadas de 1920 a 1940)

Autores

Palavras-chave:

Boi Caprichoso, Sociabilidade, Manaus

Resumo

Este estudo analisa as experiências de pessoas negras na constituição da sociedade amazônica no pós-abolição, cujo debate busca a revalorização de saberes e práticas culturais em suas múltiplas formas de vivência na cidade de Manaus, dentre as quais, a brincadeira do “Boi Caprichoso”, no bairro “Praça 14”, que, em 2014, recebeu a certificação da Fundação Palmares como o segundo Quilombo Urbano do Brasil. As fontes, em especial, as notícias do Jornal do Commercio do Amazonas, em diálogo com a literatura local, de intelectuais e folcloristas, possibilitaram compreender como o bumbá promovia sociabilidade e lazer em seu curral e nos “subúrbios” da cidade, cujos organizadores e brincantes, grupos de homens negros, tornaram-se alvos da polícia devido às “touradas”, isto é, o encontro de um bumbá com outro pelas ruas de Manaus, ainda assim, resistindo socialmente por meio da cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josivaldo Bentes Lima Júnior, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Mestre em História Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Downloads

Publicado

2022-05-16

Como Citar

LIMA JÚNIOR, J. B. Negros a bumbar: Boi Caprichoso, sociabilidade e resistência em Manaus (décadas de 1920 a 1940). Revista Aedos, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 91–110, 2022. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/120449. Acesso em: 11 ago. 2022.