A FORGS, a LEP e o Inspetô Reacionário: a Negação da Política como Espaço da Luta Social (1933-1935).

Autores

  • Diorge Alceno Konrad

Palavras-chave:

Direitos Sociais e Políticos, Movimento Operário, Rio Grande do Sul.

Resumo

A separação entre direitos sociais e direitos políticos foi constante nos discursos governamentais, entre 1930 a 1937. Isto levou o governo de Getúlio Vargas a consolidar tal estratégia para consolidar seu apoio junto aos trabalhadores do Rio Grande do Sul, governado por Flores da Cunha. Por sua vez, parcela dos trabalhadores e movimentos sindicais foi compreendendo que destituídos de direitos políticos, a nova conquista oriunda da legislação trabalhista representava conquistas históricas limitadas. O texto estuda a Federação Operária do Rio Grande do Sul (FORGS) e a Liga Eleitoral Proletária (LEP), entre 1933 e 1935, as quais questionaram a política oficial do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (MTIC) e sua representação estadual da Inspetor Regional do Trabalho, comandada por Ernani de Oliveira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-08

Como Citar

ALCENO KONRAD, D. A FORGS, a LEP e o Inspetô Reacionário: a Negação da Política como Espaço da Luta Social (1933-1935). Revista Aedos, [S. l.], v. 2, n. 4, 2009. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/10934. Acesso em: 7 jul. 2022.