Quando elas migram: interseccionalidade em pesquisa com mulheres migrantes

Autores

  • Débora Coward Fogliatto Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Migrações, interseccionalidade, mulheres migrantes

Resumo

Destoando do fenômeno chamado de ‘feminização das migrações’, a imigração senegalesa para o Brasil é majoritariamente masculina. Parte importante do atual boom de migrações Sul-Sul, especialmente nas regiões sul e sudeste do país, a comunidade de imigrantes senegaleses conta com cerca de 2% de mulheres. Neste artigo, propõe-se que, para analisar as experiências destas mulheres, não basta pensar nelas apenas como migrantes, mas sim considerar o caráter interseccional de suas vivências enquanto minoria dentro da própria comunidade e enquanto mulheres negras e imigrantes no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Coward Fogliatto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Sociologia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Downloads

Publicado

2022-05-16

Como Citar

COWARD FOGLIATTO, D. Quando elas migram: interseccionalidade em pesquisa com mulheres migrantes. Revista Aedos, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 29–44, 2022. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/108429. Acesso em: 4 jul. 2022.