“Entretanto, são ávidos de terras, pois sabem por experiência, constituírem elas excelente emprego para suas economias”: a colonização no Rio Grande do Sul e a migração de colonos para Santa Catarina

Autores

Palavras-chave:

Imigração e colonização, Rio Grande do Sul, Santa Catarina,

Resumo

A colonização se desenvolve no Rio Grande do Sul, durante o século XIX e as primeiras décadas do século XX, se expandindo até a saturação do espaço outrora disponível. Por mais que não houvesse mais espaço para a expansão colonial, a população desse espaço aumentava; essa população voltou-se para o oeste catarinense, que possuía extensas áreas disponíveis e baratas. Surge, então, um fluxo migratório que liga o Norte do Rio Grande do Sul com o oeste de Santa Catarina, independente de uma mudança definitiva ou especulação agrária. Essas movimentações acabavam sendo acompanhadas pelos funcionários públicos rio-grandenses, que destacavam as diferenças entre as formas de os governos gerirem tal assunto. Dito isso, nosso objetivo no presente artigo é analisar comparativamente a colonização em ambos os Estados brasileiros, partindo da perspectiva dos funcionários rio-grandense sobre o tema, propiciando reflexões sobre as diferenças e similaridades do processo colonizatório nos dois Estados mais ao Sul do Brasil, e as consequências dessas alterações que podem ser observadas até a atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kalinka de Oliveira Schmitz, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Doutoranda em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), mestra em História pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Downloads

Publicado

2021-10-07

Como Citar

DE OLIVEIRA SCHMITZ, K. “Entretanto, são ávidos de terras, pois sabem por experiência, constituírem elas excelente emprego para suas economias”: a colonização no Rio Grande do Sul e a migração de colonos para Santa Catarina. Revista Aedos, [S. l.], v. 13, n. 28, p. 804–838, 2021. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/108399. Acesso em: 3 jul. 2022.