História digital em tempos de crise: as demandas do tempo imediato e suas implicações no trabalho dos historiadores

Autores

  • Ana Carolina Machado Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Palavras-chave:

Crise. Covid-19. História Digital

Resumo

Este texto se constitui como uma reflexão acerca do trabalho dos historiadores em tempos de crise. Trata-se, portanto, de uma discussão de cunho teórico e metodológico que visa problematizar como, em meio à crise ocasionada pelo vírus Covid-19, os historiadores foram levados, pela necessidade do isolamento social, a ressignificar suas maneiras e métodos de trabalho. Nesse sentido, a questão central é abordar sobre o papel da história digital em tempos em que a presença física é impossibilitada. Para tanto, o artigo aborda os aspectos objetivos e subjetivos do sujeito-historiador em sua tentativa de analisar o tempo imediato, além de também levantar questões sobre ofício do historiador e seu papel social, a função da história diante das demandas do presente e do imediatismo, e os limites e potencialidades do ciberespaço como meio de divulgação e método de ensino da história. Toma-se como recorte temporal o primeiro semestre do ano de 2020 e como bases teóricas e metodológicas as discussões sobre História do Tempo Presente e Imediato, História Digital e História Pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Machado, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Mestranda em História Global pelo Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGH/UFSC)

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

MACHADO, A. C. História digital em tempos de crise: as demandas do tempo imediato e suas implicações no trabalho dos historiadores. Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 69–99, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/104233. Acesso em: 13 ago. 2022.