Projeção tridimensional de uma estrutura funerária egípcia: implicações, formulações e análise espacial da tumba de Nakht (1401-1353 A.E.C.)

Autores

  • Pedro Hugo Canto Núñez Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Marcia Severina Vasques Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Bruno Leonardo Canto Martins Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Humanidades Digitais, Egito Antigo, Tumba de Nakht (TT 52)

Resumo

Com o crescimento e democratização do acesso aos recursos tecnológicos como computadores e programas de Realidade Virtual e o uso desses no campo das Humanidades Digitais, as análises efetuadas por historiadores e arqueólogos ganharam novos avanços e aperfeiçoamentos. Utilizaremos como exemplo de aplicabilidade dessa tecnologia a tumba de Nakht (TT 52), um astrônomo e escriba do deus Âmon que viveu entre 1401-1353 A.E.C., na XVIII Dinastia do Egito Antigo, Reino Novo. Essa tumba está localizada na margem ocidental da região de Tebas, atual Luxor, Egito, e criamos uma projeção tridimensional dessa estrutura funerária egípcia utilizando o aplicativo SketchUp. Nosso objetivo, neste artigo, é demonstrar como o uso da Realidade Virtual auxilia na compreensão do espaço e na análise de seu significado simbólico e religioso, facilitando a interpretação da agência tanto dos objetos quanto das imagens dispostos na tumba.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Hugo Canto Núñez, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestrando do Programa de Pós-graduação em História e Espaços (PPGH-UFRN). Orientado pela Profª. Drª. Marcia Severina Vasques. Graduado no curso de Bacharelado em História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Pesquisaa tumba tebana de particular de Nakht (TT 52). Atua na área de Egiptologia nos seguintes temas: Egito Antigo, costumes funerários e tumbas tebanas do Novo Império.

Marcia Severina Vasques, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora Associado 3 da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de História, CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Formação acadêmica pela Universidade de São Paulo: graduação em História (1993), mestrado (2000) e doutorado (2006) em Arqueologia. Área de atuação: Arqueologia Clássica, Egiptologia e História Antiga, com destaque para o estudo da cultura material e da religião funerária do Egito Romano. Linhas de pesquisa: espaço funerário e imaginário da morte no Mundo Antigo; Imperialismo, poder e identidades: o Império Romano e suas províncias; espaços sagrados na Antiguidade: paisagens, mitos e rituais.

Bruno Leonardo Canto Martins, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Física Bacharelado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2001), mestrado em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2003) e doutorado em Física pela mesma Universidade (2007). Atualmente é professor Adjunto I, com Dedicação Exclusiva, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, onde desenvolve pesquisa em Astrofísica Estelar. Tem experiência na área de Astronomia, atuando principalmente nos seguintes temas: abundâncias químicas, nucleossíntese estelar, evolução estelar, espectroscopia estelar, magnetismo estelar e exoplanetologia.

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

CANTO NÚÑEZ, P. H.; VASQUES, M. S.; CANTO MARTINS, B. L. Projeção tridimensional de uma estrutura funerária egípcia: implicações, formulações e análise espacial da tumba de Nakht (1401-1353 A.E.C.). Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 168–197, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/104198. Acesso em: 13 ago. 2022.