Memórias afetivas na era digital: um passado não tão distante

Autores

Palavras-chave:

memória digital, modulação na rede, sites de relacionamentos, aplicativos de relacionamentos

Resumo

As tecnologias contemporâneas modificam as percepções de tempo e espaço instantaneamente, deixando os indivíduos mais conectados e modulados. Consequentemente, as vivências se tornaram mais aceleradas e consumidas rapidamente, provocando uma escassez na capacidade de lembrar acontecimentos e situações cotidianas. Este artigo propõe uma discussão sobre a memória afetiva na cultura digital em três recortes: primeiramente, abordamos sobre a incorporação da internet comercial no cotidiano dos brasileiros; na segunda parte abordamos brevemente o mercado de agências de encontros vinculados a sites para relacionamentos e por fim, discutimos o universo dos “matchs”, com o crescente mercado de aplicativos de relacionamento no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelly Cristina Nepomucena, Universidade Federal do Abc.

Jornalista, linguista, mestre em comunicação cultura e sociedade pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Humanas e Sociais da UFABC.

Lucas de Almeida Pereira, IFSP - Instituto Federal de São Paulo, campus Suzano

É Professor EBTT efetivo do Instituto Federal de Educação São Paulo (IFSP) Campus Suzano e Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e Sociais (PCHS) da UFABC.

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

NEPOMUCENA, K. C.; PEREIRA, L. de A. Memórias afetivas na era digital: um passado não tão distante. Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 130–147, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/103236. Acesso em: 13 ago. 2022.