O uso da mídia social Twitter como fornecedora de fontes primárias e sua utilização em um caso específico

Autores

  • Bruno Erbe Constante Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Palavras-chave:

Twitter, Tuítes, Golpe

Resumo

O presente artigo tem por pretensão argumentar sobre o potencial da mídia social Twitter como fornecedora de fontes primárias para estudos de temas da contemporaneidade. Após expor alguns estudos que, observando este potencial, utilizaram tuítes como fontes primárias, busca-se explorar um caso específico, a saber, o Golpe de 2016 no Brasil. Para tanto, analisam-se as manifestações de Michel Temer, Eduardo Cunha, Paulo Skaf e Reinaldo Azevedo, em seus respectivos perfis no Twitter, desde junho de 2013 até a abertura do processo de impeachment em dezembro de 2015. Por fim, tendo em vista a batalha de narrativas existente entre foi golpe ou não foi golpe sobre o processo de 2016, externa-se a transformação do conceito de golpe e afirma-se, portanto, que o que ocorreu com a deposição da presidenta Dilma Rousseff foi de fato um Golpe de Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Erbe Constante, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Licenciado (2020) e Bacharelando em História, ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

CONSTANTE, B. E. O uso da mídia social Twitter como fornecedora de fontes primárias e sua utilização em um caso específico. Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 16–47, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/103155. Acesso em: 13 ago. 2022.