O PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DO IDOSO E AS TERRITORIALIDADES: ESPAÇO COMO LUGAR?

Autores

  • Lidiane Mendes Nazareno Duarte Universidade Vale do Rio Doce

DOI:

https://doi.org/10.22456/2316-2171.33754

Palavras-chave:

Idoso, Institucionalização, Identidade, Discurso, Análise do discurso

Resumo

O envelhecimento, num país como o Brasil, mostra grande complexidade, sendo considerado um problema de ordem social. A procura por instituições de longa permanência para idosos (ILPI), diante da perspectiva demográfica e social, está aumentando e representando uma nova alternativa de moradia para o idoso. Este estudo de abordagem qualitativa teve como objetivo compreender o discurso da institucionalização do idoso e a existência de práticas que favorecem o vínculo com o lugar e a rotina de cuidados neste ambiente, propondo efetuar a análise de discursos sobre o idoso e a noção de representação. Trata-se de uma revisão bibliográfca baseada em publicações nacionais selecionadas em periódicos, livros e dissertações indexados na internet, acessados nas bases de dados: Lilacs, Google Acadêmico e Scielo, num recorte temporal de onze anos (1999 a 2010), através das palavras-chave combinadas: idoso, institucionalização, ILPI e discurso sobre o idoso. Conforme os critérios de inclusão, sete publicações foram analisadas  através da Análise de Conteúdo (Bardin, 1979) e discutidas em duas categorias: o discurso sobre a opção pela institucionalização e a existência de práticas de discursos sobre o idoso que evidenciam o vínculo institucional. Os dados apontam que os discursos sobre os idosos institucionalizados indicam necessidades de um vínculo com a instituição, porém este ambiente institucional, estruturado por relações de poder pode favorecer a perda de autonomia e identidade e o isolamento. Torna-se necessário, portanto, um esforço político orientado no sentido de colocar na agenda da sociedade as necessidades deste segmento populacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidiane Mendes Nazareno Duarte, Universidade Vale do Rio Doce

Graduada em psicologia pela UNIVALE. Mestre em Gestão Integrada do Território da Universidade Vale do Rio Doce (UNIVALE).

Referências

ANDRADE, Oséias Guimarães. Representações Sociais de Saúde e de Doença na Velhice. Acta Scientiarum Health Sciences, Maringá, v. 25, n. 2, p. 207-213, Out. 2003.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge

Zahar Editor, 2005.

BESSA, Maria Eliana Peixoto; SILVA, Maria Josefina da. Motivações para o ingresso dos idosos em instituições de longa permanência e processos adaptativos: um estudo de caso. Texto Contexto - Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 2, p. 258-265, Abr./Jun. 2008.

BOSI, Ecléa. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. 2. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.

BREDEMEIER, Sônia Mercedes Lenhard; SILVA, Elenir da. O Velho cuidador e suas percepções sobre a velhice. Perspectiva Latino Americana, Brasil, p. 1-10, 2. semestre 1999. Disponível em: <http://www.ts.ucr.ac.cr/binarios/pela/pl-000082.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2011.

CAMARANO, Ana Amélia. Instituições de longa permanência e outras modalidades de arranjos domiciliares para idosos. In: NERI, Anita Liberalesco (Org.). Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativas na terceira idade. São Paulo: Perseu Abramo, 2007, p. 169-191.

CHAIMOWICZ, Flávio; GRECO, Dirceu Bartolomeu. Dinâmica da institucionalização de idosos em Belo Horizonte, Brasil. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 33, n. 5, p. 454-460, Out. 1999.

CUNHA, Maria Isabel da. Os conceitos de espaço, lugar e território nos processos analíticos da formação dos docentes universitários. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 12, n. 3, p. 182-186, Set./Dez. 2008.

DEBERT, Guita Grin. A invenção da Terceira Idade e a rearticulação de formas de consumo e demandas políticas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 12, n. 34, p. 39-56, Jun. 1997.

DUTRA, Isabel Cristina Bezerra et al. Impacto da experiência com idoso institucionalizado na formação acadêmica em fisioterapia. In: ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA, 11., 2009, João Pessoa. Anais... João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2009. p. 1-8.

FALEIROS, Vicente de Paula; MORANO, Tereza. Cotidiano e relações de poder numa instituição de longa permanência para pessoas idosas. Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 319-338, Jul./Dez. 2009.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.

GALERY, Augusto Dutra. São os idosos sujeitos? Análise do Discurso dos sites de clínicas de repouso para idosos. Portal do Envelhecimento - 2008. Disponível em: < https://www.yumpu.com/pt/document/view/12933291/sao-os-idosos-sujeitos-portal-do-envelhecimento>. Acesso em: 15 mar. 2014.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 2005.

GOMES, Daniela Jaquinta; CAMARGO, Pamela Martins; BORGES, Camila Dellatorre. A vivência de idosos no contexto asilar. Pesquisa de campo em Psicologia Social. Ribeirão Preto: Instituto de Ciências Humanas - Universidade Paulista, 2008.

GUEDES, Ana Carolina Bastos; GAMA, Carolina Rebêlo; TIUSSI, Adriani Cristini Rosa. Avaliação nutricional subjetiva do idoso: Avaliação Subjetiva Global (ASG) versus Mini Avaliação Nutricional. Comunicação em Ciências da Saúde, Brasília, v. 19, n. 4, p. 375-384, Out./Dez. 2008.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

LINDERN, Daniele et al. Velhice e Identidade: Significações de Mulheres Idosas. In: SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE PSICOLOGIA, PUCRS, 11., 2010, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010. p. 1751-1753.

LYSARDO-DIAS, Dylia. A construção e a desconstrução de estereótipos pela publicidade brasileira. In: MACHADO-BORGES, Thaís (Ed.). Going beyond Limits? Media and Transgression – Brazilian Cases. Estocolmo: Stockholm Review of Latin American Studies, n. 2, 2007, p. 25-35. Disponível em: <http://www.lai.su.se/polopoly_fs/1.135154.1368786310!/menu/standard/file/SRoLAS_No2_2007.pdf>. Acesso em: 15 mar. 2014.

MAGALHÃES, Célia Maria. Percursos das abordagens discursivas associadas à Lingüística Sistêmica Funcional. In: VIEIRA, Josenia Antunes et al. Olhares em análise de discurso crítica. Brasília: Cepadic, 2009, p. 17-36.

MAIA, Gabriela Felten da; CASTRO, Gracielle Dotto; JORDÃO, Aline Bedin. Ampliando a clínica com idosos institucionalizados. Revista Mal-Estar e Subjetividade, Fortaleza, v. 10, n. 1, p. 193-210, Mar. 2010.

MARTINS, Rafaela Lunardi et al. História Oral de Vida: Idosos em Instituição de Longa Permanência e suas Representações Sociais. In: ENCUENTRO NACIONAL Y III CONGRESO INTERNACIONAL DE HISTORIA ORAL DE LA REPÚBLICA ARGENTINA, 9., 2009, Buenos Aires. Anais… Buenos Aires: Universidad de Buenos Aires, 2009. p. 01-19.

MAZZA, Márcia Maria Porto Rossetto; LEFÉVRE, Fernando. A instituição asilar segundo o cuidador familiar do idoso. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 13, n. 3, p. 68-77, Set./Dez. 2004.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 1993.

MIRANDA, Francisco Arnoldo Nunes de et al. Representação social da sexualidade entre idosos institucionalizados. UNOPAR, Científica, Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 7, n. 1, p. 27-34, Out. 2005.

NERI, Anita Liberalesso. Qualidade de Vida na Velhice. In: DELITTI, Maly. (Org.). Sobre Comportamento e Cognição: A prática a análise do comportamento e da terapia cognitivo-comportamental. São Paulo: ArBytes, v. 2, 1997, p. 34-40.

PAULA, Rouseane da Silva. A Construção Identitária da Pessoa Idosa. Revista Fórum Identidades, Itabaiana, v. 3, n. 3, p. 111-117, Jan./Jun. 2008.

PAVAN, Fábio José; MENEGHEL, Stela Nazareth; JUNGES, José Roque. Mulheres idosas enfrentando a institucionalização. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 9, p. 2187-2190, Set. 2008.

PESTANA, Luana Cardoso; ESPÍRITO SANTO, Fátima Helena do. As engrenagens da saúde na terceira idade: um estudo com idosos asilados. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 42, n. 2, p. 268-275, Jun. 2008.

PROCHNAU, Natiele; PASTÓRIO, Walmir Francisco. A Auto-estima em Idosos Institucionalizados. In: ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPSO, 14., 2007, Paraná. Anais .... Paraná: Abrapso, 2007. p. 01-10.

QUEIROZ, Gleicimara Araújo. Qualidade de vida em instituições de longa permanência para idosos: considerações a partir de um modelo alternativo de assistência. São João Del Rei: UFSJ, 2010. 140 p. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de São João Del Rei, Minas Gerais, 2010.

RODRIGUES, Lizete de Souza; SOARES, Geraldo Antônio. Velho, idoso e terceira idade na sociedade contemporânea. Revista Ágora, Vitória, n. 4, p. 1-29, 2006.

SCHMITT, Jaqueline Aparecida Martins Zarbato. Histórias e publicações sobre a velhice no Brasil. Revista Científica Plural, Tubarão, p. 1-10, 2005.

SOUZA, Jaime Luiz Cunha de. Asilo para idosos: o lugar da face rejeitada. Trilhas, Belém, v. 4, n. 1, p. 77-86, Set. 2003.

ZAIDAN, Geralda Maria de Carvalho. A Memória marca os limites do universo das representações da temporalidade. Web revista página de debates: questões de linguística e linguagem, Nova Andradina, n. 11, p. 1-13, Nov. 2009.

Downloads

Publicado

2014-08-19

Como Citar

Duarte, L. M. N. (2014). O PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DO IDOSO E AS TERRITORIALIDADES: ESPAÇO COMO LUGAR?. Estudos Interdisciplinares Sobre O Envelhecimento, 19(1). https://doi.org/10.22456/2316-2171.33754

Edição

Seção

Artigos