ATIVIDADE FÍSICA EM IDOSOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA BASEADA NO INTERNATIONAL PHYSICAL ACTIVITY QUESTIONNAIRE (IPAQ).

Autores

  • Maria Angélica Binotto Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO
  • Khaled Omar Mohamad El Tassa Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.22456/2316-2171.26068

Palavras-chave:

Idosos, Atividade Física, Questionário, IPAQ

Resumo

A importância e os benefícios das atividades físicas para a população idosa estão bem documentados na literatura da área. Porém, a utilização de métodos e instrumentos de medidas da atividade física é bem diversificada, e os questionários têm sido os mais empregados. O objetivo da investigação é analisar, por meio da revisão sistemática, o nível de atividade física em idosos mensurados pelo International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). O estudo caracterizou-se por uma revisão sistemática da literatura orientada pela busca nas seguintes bases de dados: SciELO, LILACS e PubMED, no período de 2000 a 2010. Para tanto, os descritores selecionados, em português e inglês, foram: idosos, atividade física, questionário internacional de atividade física (IPAQ), questionário, medida indireta e estudo transversal. Seguindo as diferentes etapas da revisão sistemática, a busca inicial deu conta de 635 artigos (artigos não duplicados nas bases), resultando 7 publicações para a análise final. A seleção dos artigos foi feita a partir de uma revisão pareada, alternada e consensual. Evidenciou-se que a maioria (6) dos artigos analisados que utilizou o IPAQ para avaliar o nível de atividade física em idosos encontrou uma prevalência maior de idosos considerados mais ativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Angélica Binotto, Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO

Docente do departamento de Educação Física da Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO-PR

Khaled Omar Mohamad El Tassa, Universidade Federal do Paraná

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade Federal do Paraná.

Referências

BATH, Peter; MORGAN, Kevin. Customary physical activity and physical health outcomes in later life. Age and Ageing, London, v. 27, suppl. 3, p. 29-34, Dec. 1998.

BENEDETTI, Tânia Rosane Bertoldo et al. Aplicação do Questionário Internacional de Atividades Físicas para avaliação do nível de atividades físicas de mulheres idosas: validade concorrente e reprodutibilidade teste-reteste. Revista Brasileira de Ciência do Movimento, Brasília, v. 12, n. 1, p. 25-34, Jan./Mar. 2004.

______. Reprodutibilidade e validade do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) em homens idosos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 11-16, Jan./Fev. 2007.

BENEDETTI, Tânia Rosane Bertoldo; BORGES, Lucélia Justino; PETROSKI, Edio Luiz; GONÇALVES, Lúcia Hisako Takase. Atividade física e estado de saúde mental de idosos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 2, p. 302-307, Abr. 2008.

BENEDETTI, Tânia Rosane Bertoldo; BINOTTO, Maria Angélica; PETROSKI, Edio Luiz; GONÇALVES, Lúcia Hisako Takase. Atividade física e prevalência de quedas em idosos residentes no sul do Brasil. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 145-154, Mai./Ago. 2008.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Vigitel Brasil 2007: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília, 2008.

CARVALHO, José Alberto Magno; GARCIA, Ricardo Alexandrino. O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 725-733, Mai./Jun. 2003.

CHARCHAT-FICHMAN, Helenice et al. Declínio da capacidade cognitiva durante o envelhecimento. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 27, n. 12, p. 79-82, Mar. 2005.

COELHO, Flávia Gomes de Melo et al. Atividade física sistematizada e desempenho cognitivo em idosos com demência de Alzheimer: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 163-170, Jun. 2009.

FESKANICH, Diane; WILLETT, Walter; COLDITZ, Granham. Walking and leisure-time activity and risk of hip fracture in postmenopausal women. JAMA, Chicago, v. 288, n. 18, p. 2300-2306, Nov. 2002.

GAO, Kelly; TSANG, Willian. Use of accelerometry to quantify the physical activity level of the elderly. Hong Kong Physiotherapy Journal, Hong Kong, v. 26, n. 1, p. 18-23, Jan. 2008.

GALPER, Daniel et al. Inversal association between physical inactivity and mental health in men and women. Medicine and Science in Sports and Exercise, Hagerstown, v. 38, n. 1, p. 173-178, Jan. 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Relatório - Censo demográfico. Brasília (DF), 2000.

______. População brasileira envelhece em ritmo acelerado. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias>. Acesso em: 12 de set. de 2010.

JACKON, Nicki; WATERS, Elizabeth. Criteria for the systematic review of health promotion and public health interventions. Health Promotion International, Oxford, v. 20, n. 4, p. 367-74, Dec. 2005.

KALACHE, Alexandre. Envelhecimento no contexto internacional: a perspectiva da Organização Mundial de Saúde. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL “ENVELHECIMENTO POPULACIONAL: UMA AGENDA PARA O FINAL DO SÉCULO”, 1., 1996, Brasília. Anais... Brasília: Ministério da Previdência e Assistência Social, 1996. p. 16-34.

KLIEMAN, Linda; HYDE, Shauna; BERRA, Kathy. Cardiovascular disease risk reduction in older adults. Journal of Cardiovascular Nursing, Hagerstown, v. 21, n. 5, suppl. 1, p. S27-39, Sep./Oct. 2006.

KUHNEN, Ana Paula et al. Recursos econômicos e atividades físicas de idosos de Florianópolis, SC. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Londrina, v. 11, n. 3, p. 32-41, Set./Dez. 2006.

LEE, I-Min; PAFFENBARGER, Ralph. Associations of light, moderate and vigorous intensity physical activity with longevity. American Journal of Epidemiology, Baltimore, v. 151, n. 3, p. 293-299, Feb. 2000.

LINDE, Klaus; WILLICH, Stefan. How objective are systematic reviews? Differences between reviews on complementary medicine. Journal of the Royal Society of Medicine, London, v. 96, n. 1, p. 17-22, Jan. 2003.

MARSHALL, Alison; BAUMAN, Adrian. The International Physical Activity Questionnaire: Summary Report of the Reliability & Validity Studies. IPAQ Executive Committee, 2001. Disponível em < http://www.ipaq.ki.se/questionnaires/IPAQSummaryReport03-01.pdf>. Acesso em: 21 de dez. de 2010.

MAZO, Giovana Zago et al. Nível de atividade física, condições de saúde e características sócio-demográficas de mulheres idosas brasileiras. Revista Portuguesa Ciência e Desporto, Porto, v. 5, n. 2, p. 202-212, Mai. 2005.

MAZO, Giovana Zago, BENEDETTI, Tânia Rosane Bertoldo. Adaptação do questionário internacional de atividade física para idosos. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, Florianópolis, v. 12, n. 6, p. 480-484, Oct. 2010.

MITNITSKI, Arnold et al. Frailty, fitness and late-life mortality in relation to chronological and biological age. BMC Geriatrics, London, v. 2, n. 1, p. 1-8, Feb. 2002.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Relatório - Envelhecimento ativo: um projeto de política de saúde. II Encontro Mundial Sobre Envelhecimento. Madri, 2002.

PITTA, F. et al. Quantifying physical activity in daily life with questionnaires and motion sensors in COPD. European Respiratory Journal, Copenhagen, v. 27, n. 5, p. 1040-1055, May 2006.

RABACOW, Fabiana et al. Questionários de medidas de atividade física em idosos. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, Florianópolis, v. 8, n. 4, p. 99-106, 2006.

REXRODE, KM; BURING, JE; MANSON, JE. Abdominal and total adiposity and risk of coronary heart disease in men. International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders, London, v. 25, n. 7, p. 1047-1056, Jul. 2001.

SPIRDUSO, Wannen. Dimensões físicas do envelhecimento. Barueri: Manole, 2005.

SHEPHARD, Roy. Envelhecimento, atividade física e saúde. São Paulo: Phorte, 2003.

TOSCANO, José Jean de Oliveira; OLIVEIRA, Antônio César Cabral. Qualidade de vida em idosos com distintos níveis de atividade física. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Niterói, v. 15, n. 3, p. 169-173, Mai/Jun. 2009.

VALIM-ROGATTO, Priscila Carneiro et al. Nível de atividade física e quedas acidentais em idosos: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 11, n. 2, p. 235-242, 2009.

Downloads

Publicado

2014-08-19

Como Citar

Binotto, M. A., & El Tassa, K. O. M. (2014). ATIVIDADE FÍSICA EM IDOSOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA BASEADA NO INTERNATIONAL PHYSICAL ACTIVITY QUESTIONNAIRE (IPAQ). Estudos Interdisciplinares Sobre O Envelhecimento, 19(1). https://doi.org/10.22456/2316-2171.26068

Edição

Seção

Artigos