O íntimo, o privado, o público na arte contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.80125

Palavras-chave:

O íntimo. Privado. Público. Arte contemporânea. Ato criativo.

Resumo

Para existir plenamente a arte necessita ser exibida ao público. Nas sociedades contemporâneas o íntimo e o privado são cada vez mais mediatizados e confundidos no espaço público. Na arte, os conceitos de íntimo, privado e público são distintos mas não podem ser pensados separadamente. Como esses conceitos se articulam na arte contemporânea? Como distinguir o íntimo em relação ao privado e público na arte? Quais são as questões aí implicadas? As questões colocadas por Sandra Rey à Eliane Chiron buscam esclarecer as relações entre esses três conceitos na arte contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Rey, PPGAV-UFRGS

Artista Visual. Expõe e publica textos sobre arte e crítica de arte. Pesquisadora no CNPq. Líder do Grupo de Pesquisas Processos Híbridos na Arte Contemporânea. Professora convidada nos Programas de pós-graduação da UFRGS e UFSM.

Eliane Chiron

Artista Visual et crítica de arte. Professora Emérita da Universidade de Paris I. Diretora do CRAV (Centre de Recherches en Arts Visuels, Université de Paris I, Sorbonne). Expõe e publica textos sobre arte. Organizou a publicação L’intime, le privé, le public dans l’art contemporain (Publications de la Sorbonne, 2012).

Arquivos adicionais

Publicado

2017-12-30

Como Citar

Rey, S., & Chiron, E. (2017). O íntimo, o privado, o público na arte contemporânea. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais, 22(37). https://doi.org/10.22456/2179-8001.80125