Entre a aura, o rastro e o fogo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.118738

Palavras-chave:

Cultura visual, patrimônio, aura, rastros, Museu Nacional.

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão em torno da ideia de aura, tomando como objeto central da reflexão as milhões de peças destruídas no incêndio do Museu Nacional do Rio de Janeiro. A partir das definições propostas por Benjamin, em diálogo com Didi-Huberman, Latour e Lowe, busca-se levantar diferentes possibilidades da sobrevivência da aura de tais objetos, perpassando por temas como rastros, fac-símile, memória e reconstrução.

Abstract

This article presents a discussion about the idea of ​​aura, taking as the central object of reflection the millions of pieces destroyed in the fire of the National Museum in Rio de Janeiro. Based on definitions proposed by Benjamin, in dialogue with Didi-Huberman, Latour and Lowe, we seek to raise different possibilities for the survival of the aura of such objects, covering themes such as traces, facsimile, memory and reconstruction.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Wilhelm Eilers, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Helena Wilhelm Eilers é doutoranda em Artes Visuais (linha de História e Crítica de Arte), na Universidade Federal do Rio de Janeiro e mestre em Arte Visuais pela mesma universidade. É graduada em Jornalismo (PUCRS), membro da equipe editorial da Revista Arte & Ensaios e curadora independente.

Referências

ALESSI, Gil. A ciência perdida no Museu Nacional. El País, 5 set. 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/09/05/politica/1536160858_009887.html. Acesso em: 15 abr. 2021.

AVELAR, Sylvia Maria Marteleto. O desaparecimento da aura em Walter Benjamin. 2010. 140f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Arte, Técnica, Linguagem e Política. Lisboa: Relógio d’Água Editores, 1992.

BENJAMIN, Walter. As Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante do tempo: história da arte e anacronismo das imagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Imagens apesar de tudo. São Paulo: Editora 34, 2020.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Limiar, aura e rememoração: ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Editora 34. 2019.

HENNION, Antoine; LATOUR, Bruno. How to make mistakes on so many things at once –and become famous for it. Mapping Benjamin: The work of art in the digital age. Stanford: Stanford University Press, 2003.

LATOUR, Bruno; LOWE, Adam. The Migration of the Aura or How to Explore the Original through Facsimiles. Switching Codes, 2011. Disponível em: http://www.brunolatour.fr/node/151.html. Acesso em: 25 mar. 2021.

LIMA, Vivi Fernandes de. Dois anos depois do incêndio. Revista da Fapesp. São Paulo, out. 2020. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/dois-anos-depois-do-incendio/. Acesso em: 15 abr. 2021.

MOTTA, Débora. Um patrimônio que ressurge literalmente das cinzas. Faperj, 6 jun. 2019. Disponível em: http://www.faperj.br/?id=3771.2.5#:~:text=Uma%20das%20impress%C3%

B5es%20em%203D,de%2090%20milh%C3%B5es%20de%20anos. Acesso em: 7 abr. 2020.

MOTTA, Fernanda Miranda de Vasconcellos; SILVA, Ronaldo André Rodrigues da. A adoção de tecnologias digitais na reconstrução do Patrimônio: relato da experiência do Museu Nacional, Brasil. Informação & Sociedade, v. 30, n. 2, 2020.

PALHARES, Taisa Helena Pascale. Aura: a crise da arte em Walter Benjamin. São Paulo: Barracuda, 2006.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-12-15

Como Citar

Eilers, H. W. (2021). Entre a aura, o rastro e o fogo. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais, 26(46). https://doi.org/10.22456/2179-8001.118738

Edição

Seção

DOSSIÊ: Espaços Maleáveis