Na fluidez da modernidade, identidades à deriva: "eu" e "outro" em <i>Budapeste</i>, de Chico Buarque

Autores

  • Carina Dartora Zonin Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1981-4526.26844

Palavras-chave:

laços humanos, mundo degradado, modernidade, fluidez, identidade

Resumo

Neste artigo, propomos refletir acerca do romance Budapeste, de Chico Buarque. Através da trajetória do personagem central, José Costa, analisaremos aspectos específicos da modernidade, especialmente, a questão da identidade. Para tanto, os estudos de Zygmunt Bauman a esse respeito serão de fundamental relevância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carina Dartora Zonin, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Carina Dartora Zonin, professora substituta no Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Câmpus Sertão, é mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialista em Literatura Brasileira e em Estudos Linguísticos do Texto pela mesma instituição de ensino. E-mail: carinadzonin@yahoo.com.br.

Downloads

Publicado

2012-10-22

Como Citar

Dartora Zonin, C. (2012). Na fluidez da modernidade, identidades à deriva: &quot;eu&quot; e &quot;outro&quot; em &lt;i&gt;Budapeste&lt;/i&gt;, de Chico Buarque. Nau Literária, 8(1). https://doi.org/10.22456/1981-4526.26844