Rosita, de Moçambique

Autores

  • Neiva Kampff Garcia UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1981-4526.20606

Palavras-chave:

Mia Couto, simbologia, imagem, memória

Resumo

O presente artigo se propõe a analisar um encontro entre ficção e realidade, na poética de Mia Couto, através do conto “Rosita”, publicado em Na berma de nenhuma estrada. Procuramos identificar essa possibilidade através do diálogo entre a simbologia da água, a constituição da imagem e o registro da memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-09-13

Como Citar

Garcia, N. K. (2011). Rosita, de Moçambique. Nau Literária, 7(2). https://doi.org/10.22456/1981-4526.20606

Edição

Seção

Dossiê