Corpo e identidade no romance Nihonjin de Oscar Nakasato/Body and Identity in Oscar Nakasato’s novel Nihonjin

Autores

  • Dionei Mathias Professor no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas e no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria. http://orcid.org/0000-0001-8415-1460

DOI:

https://doi.org/10.22456/1981-4526.113322

Palavras-chave:

Oscar Nakasato, Nihonjin, corpo, identidade.

Resumo

O romance Nihonjin de Oscar Nakasato foi publicado em 2011, retratando o processo de migração japonesa para o Brasil. Além de mostrar as dificuldades de adaptação cultural da primeira geração, o romance também aborda os conflitos de identidade de membros da família nascidos no Brasil. Com base no conceito de habitus de Bourdieu, este artigo deseja discutir a concepção do si como resultado da intersecção entre disposições corporais e narrativas identitárias. Com isso em mente, o foco recai sobre as personagens femininas Kimie e Sumie, cujos esquemas acionais revelam a internalização de disposições impostas pelo grupo. Inseridas numa malha complexa de poder definida pelo habitus de grupo, as personagens tem como desafio central resolver o conflito entre sujeição do corpo com base nos esquemas acionais internalizados e a obtenção de agência em consonância com anseios de identidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dionei Mathias, Professor no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas e no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria.

Professor na Universidade Federal de Santa Maria, no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas e no Programa de Pós-Graduação em Letras. Doutor em Letras pela Universität Hamburg e pela UFPR.  Desenvolve pesquisas voltadas para a representação literária de narrativas identitárias e de dinâmicas afetivas. 

 

Downloads

Publicado

2022-02-28

Como Citar

Mathias, D. (2022). Corpo e identidade no romance Nihonjin de Oscar Nakasato/Body and Identity in Oscar Nakasato’s novel Nihonjin. Nau Literária, 17(3), 75–94. https://doi.org/10.22456/1981-4526.113322