https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/issue/feed Movimento 2023-02-04T23:42:41-03:00 Movimento movimento@ufrgs.br Open Journal Systems <p>A revista Movimento é uma publicação de acesso aberto da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Sul que tem por objetivo divulgar a produção científica nacional e internacional, <strong>sobre temas relacionados à Educação Física, no que tange aos seus aspectos pedagógicos, históricos, políticos e culturais</strong>. Nessa perspectiva, o periódico recebe, avalia e publica manuscritos que problematizem os fenômenos e os temas investigados, <strong>tendo como fundamentos teóricos, metodológicos, analíticos e interpretativos aqueles oriundos das Ciências Humanas e Sociais</strong>. O periódico aceita manuscritos originais nos idiomas português, espanhol, inglês e francês.</p> <p><strong>Publicação Contínua | </strong><strong>ISSN 0104-754X | e-ISSN 1982-8918<br /></strong></p> https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/125819 Menos Educação Física, menos formação humana, menos educação integral 2022-10-06T10:29:43-03:00 Vicente Molina Neto vicente.neto@ufrgs.br <p>Neste ensaio refletimos sobre um dos efeitos do Novo Ensino Médio [(NEM) (Lei federal nº 13.415/2017)] no Rio Grande do Sul. Em outras palavras, tratamos, especificamente, da extinção progressiva da Educação Física Escolar e das Ciências Humanas em geral na “Matriz Curricular Gaúcha” do Estado do Rio Grande do Sul (RS) concretizado na portaria SEDUC 350/2021 emitida pela Gestão Estadual no exercício do mandato de 2019–2022. Para cumprir com o objetivo efetivamos uma análise dos documentos relativos ao que denominamos contrarreforma curricular. Sugerimos ao final a revisão da normativa estadual que reduz a carga horária da Educação Física na Educação Básica, tarefa que coincide com posições afirmadas por entidades científicas nacionais.</p> 2023-02-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Movimento https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/126910 Arte rupestre 2022-11-17T16:39:24-03:00 Marcial Cotes mcotes@uesc.br Leandro Paiva professorleandropaiva@gmail.com Artemis de Araújo Soares artemissoares@yahoo.com.br Michel Justamand micheljustamand@yahoo.com.br Gabriel Oliveira gfrechiani@hotmail.com Vitor José Rampaneli de Almeida vitor.almeida@ufabc.edu.br <p>A investigação discute as relações entre duas artes rupestres – <em>flic flac</em> e a pirâmide humana –, admitidas na contemporaneidade como ginástica e acrobacia, localizadas no Parque Nacional Serra da Capivara – PNSC, no Estado do Piauí, Brasil, e a cultura corporal do movimento. Utilizou-se de um aparato teórico interdisciplinar fundamentado na Educação Física e suas relações com a Arqueologia e Antropologia na análise. Trata-se de inferências, pois nada garante que as mãos que retrataram as cenas tinham a intencionalidade dos autores da pesquisa. Uma das ilações entende que as habilidades motoras auxiliavam as demandas do cotidiano de adversidades para sobrevivência do grupo. Por outro prisma, a partir do conceito de <em>Ilinx, </em>o <em>flic flac </em>atende a busca de um transe/vertigem vital a liturgia ritualística, e, a pirâmide humana serve a imperiosa tarefa de consolidar os laços cooperativos e de confiança entre os seus membros em um ambiente hostil.</p> 2023-02-05T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Movimento