EDUCAÇÃO FÍSICA, GÊNERO E ESCOLA: UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO ACADÊMICA

Autores

  • Alexandre Jackson Chan-Vianna UGF
  • Diego Luz Moura Universidade Gama Filho
  • Ludmila Mourão UGF

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.9492

Palavras-chave:

Educação física. Identidade de gênero. Preconceito.

Resumo

O objetivo do estudo foi analisar as argumentações

que sustentam a afirmação de discriminação das meninas

nas aulas de educação física, na produção das pesquisas

dos programas

 

sensu stricto em educação física do banco

de teses da CAPES. Cinco estudos foram identificados e

analisados a partir das categorias analíticas: propostas das

pesquisas; discriminação nas aulas de educação física; a

esportivização e o sexismo, e o conceito de sexismo. As

pesquisas, de um lado, denunciam o sistema escolar por reforçar

o sexismo mas, por outro, apontam que gênero não é o

único fator de inclusão e exclusão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Jackson Chan-Vianna, UGF

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Gama Filho. Bolsista da CAPES. E- mail: a.jackson@uol.com.br, Rio de janeiro, Brasil.

Diego Luz Moura, Universidade Gama Filho

M

Ludmila Mourão, UGF

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Gama Filho. E-mail: ludmila.mourao@terra.com.br. Rio de Janeiro, Brasil.

Publicado

2009-12-03

Como Citar

CHAN-VIANNA, A. J.; MOURA, D. L.; MOURÃO, L. EDUCAÇÃO FÍSICA, GÊNERO E ESCOLA: UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO ACADÊMICA. Movimento, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 149–166, 2009. DOI: 10.22456/1982-8918.9492. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/9492. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.