CAMINHADA DO PRIVILÉGIO E AS CAUSAS PERCEBIDAS DA DESIGUALDADE SOCIAL: UM DEBATE COM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.88644

Palavras-chave:

Estudantes. Educação Física. Emoções. Percepção social.

Resumo

Colocar em perspectiva as representações sociais não é tarefa fácil. Neste trabalho, as percepções de dez estudantes de Educação Física antes e após a Caminhada do Privilégio – dinâmica que representa a trajetória de vida dos participantes através de passos – foram analisadas visando compreender os efeitos da atividade sobre o grupo a partir das percepções de suas posições sociais, dos fatores atribuídos a tais posições e das mudanças de perspectiva desencadeadas pela Caminhada do Privilégio. Os estudantes estimaram corretamente suas posições finais na Caminhada, porém esperavam encontrar pouca diferença entre eles, decorrente do esforço individual e do acesso a direitos e privilégios. Contudo, após a Caminhada do Privilégio, observaram uma grande distância entre eles e questões como gênero, orientação sexual, apoio familiar e condição econômica foram percebidas como centrais. O racismo foi citado, mas de forma reservada, em questionário, indicando a dificuldade de debate aberto de temas sociais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-11-19

Como Citar

LOIOLA, M. C.; ALVES, H. de Q.; VAZ, M. F.; OLIVEIRA, A. P. de; IMBIRIBA, L. A.; MACEDO, A. R. de. CAMINHADA DO PRIVILÉGIO E AS CAUSAS PERCEBIDAS DA DESIGUALDADE SOCIAL: UM DEBATE COM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Movimento, [S. l.], v. 25, p. e25072, 2019. DOI: 10.22456/1982-8918.88644. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/88644. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais