O JOGO EM PROJETOS DE INOVAÇÃO UNIVERSITÁRIA. ESTRATÉGIA INCLUSIVA

Autores

  • Ivana Verónica Rivero Universidad Nacional de Río Cuarto
  • Viviana Graciela Gilleta Universidad Nacional de Río Cuarto. Río Cuarto, Cba, Argentina

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.88086

Palavras-chave:

Jogos e brinquedos. Educação. Inovação. Formulação de projetos

Resumo

Este artigo descreve os resultados finais de uma pesquisa qualitativa que tem como objetivo conhecer e compreender o lugar do jogo nos atuais projetos de inovação de ensino da uma universidade pública argentina. A metodologia utilizada foi a teoria fundamentada ou método de comparação constante. Foram utilizadas duas estratégias da coleta de dados: análise do texto (projetos aprovados e financiados) e entrevistas em profundidade (para gerentes de projeto). Para assegurar não só o acesso ao ensino superior, mas o interesse em estudar e a oportunidade de avançar estudos em tempo adequado, alguns professores fazem situações do jogo para ligar a dimensão prática do conhecimento construído com o domínio conceitual teórico dos objetos de estudo. Mesmo quando o jogo é mais antigo que a cultura, o contexto universitário o propõe como uma inovação.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivana Verónica Rivero, Universidad Nacional de Río Cuarto

Docente Investigadora del Departamento de Educación Física de la Facultad de Ciencias Humanas de la Universidad Nacional de Río Cuarto.

Becaria Postdoctoral de CONICET. 

 

Viviana Graciela Gilleta, Universidad Nacional de Río Cuarto. Río Cuarto, Cba, Argentina

Docente Investigadora categoría 4 programa incentivos del Departamento de Educación Física de la UNRC. Responsable de asignatura Deportes de conjunto.

Publicado

2019-09-06

Como Citar

RIVERO, I. V.; GILLETA, V. G. O JOGO EM PROJETOS DE INOVAÇÃO UNIVERSITÁRIA. ESTRATÉGIA INCLUSIVA. Movimento, [S. l.], v. 25, p. e25048, 2019. DOI: 10.22456/1982-8918.88086. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/88086. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais