POSIÇÕES E TOMADAS DE POSIÇÕES NA CONSTITUCIONALIZAÇÃO DO DIREITO AO ESPORTE NO BRASIL

Autores

  • Felipe Canan Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil
  • Fernando Augusto Starepravo Universidade Estadual de Maringá. Maringá, PR, Brasil
  • Juliano de Souza Universidade Estadual de Maringá. Maringá, PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.68924

Palavras-chave:

Políticas públicas. Direito internacional. Sociologia.

Resumo

Buscamos identificar fatores histórico-sociológicos determinantes para que o esporte adquirisse o caráter de direito constitucional no Brasil. Revisitamos a história do período pré-constituinte, analisando-a 1) à luz de pressupostos do direito internacional em sentido lato e 2) das contribuições teóricas de Pierre Bourdieu. Ainda que as demandas da comunidade esportiva nacional tenham se dado em função da liberalização da iniciativa privada, certos movimentos dentro do campo político-esportivo, sobretudo influenciados por Manoel Tubino, agente com capital cultural em muito pautado em documentos internacionais, foram Políticas públicas. Direito internacional. Sociologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-09-30

Como Citar

CANAN, F.; STAREPRAVO, F. A.; SOUZA, J. de. POSIÇÕES E TOMADAS DE POSIÇÕES NA CONSTITUCIONALIZAÇÃO DO DIREITO AO ESPORTE NO BRASIL. Movimento, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 1105–1118, 2017. DOI: 10.22456/1982-8918.68924. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/68924. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Ensaios