ATIVIDADES DE AVENTURA NA NATUREZA E DESENVOLVIMENTO DO COMPORTAMENTO PRÓ-AMBIENTAL: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE IDOSOS E CONDUTORES

Autores

  • Cheng Hsin Nery Chao Pos Doutorando em Ciências da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP. Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.
  • Juliana de Paula Figueiredo Mestre em Ciências da Motricidade / UNESP / Rio Claro /SP. Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID). Membro do LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física / IB / Universidade Estadual Paulista / Rio Claro / SP e do Laboratório de Pesquisa em Lazer e Atividade Física (LAPLAF/CEFID/UDESC/CNPq).
  • Viviane Kawano Dias Doutoranda em Desenvolvimento Humano e Tecnologias -UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.
  • Cinthia Beatriz da Fonseca Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.
  • Ivan Igor de Oliveira Sobrinho Graduando em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.
  • Giselle Helena Tavares Pós Doutoranda em Ciências da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.
  • Gisele Maria Schwartz Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP, LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB, Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.46491

Palavras-chave:

Natureza. Idoso. Educação Ambiental.

Resumo

Este estudo qualitativo objetivou comparar os resultados referentes ao comportamento pró-ambiental obtidos com idosos praticantes de atividades de aventura com os dos condutores desta vivência. A Escala de Ecocentrismo e Antropocentrismo (THOMPSON; BARTON, 1994) foi aplicada a amostras intencionais de idosos praticantes e de adultos jovens condutores de atividades de aventura na natureza. Os dados analisados descritivamente por Análise de Conteúdo indicam que idosos e adultos jovens classificam-se na dimensão ecocêntrica, porém, idosos são mais antropocêntricos e apáticos ambientais. Sugerem-se novos estudos para subsidiar novas estratégias de ação no campo da Motricidade Humana, para estimular o desenvolvimento do comportamento pró-ambiental.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cheng Hsin Nery Chao, Pos Doutorando em Ciências da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP. Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Pos Doutorando em Ciências da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP. Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Juliana de Paula Figueiredo, Mestre em Ciências da Motricidade / UNESP / Rio Claro /SP. Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID). Membro do LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física / IB / Universidade Estadual Paulista / Rio Claro / SP e do Laboratório de Pesquisa em Lazer e Atividade Física (LAPLAF/CEFID/UDESC/CNPq).

Mestre em Ciências da Motricidade / UNESP / Rio Claro /SP. Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID). Membro do LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física / IB / Universidade Estadual Paulista / Rio Claro / SP e do Laboratório de Pesquisa em Lazer e Atividade Física (LAPLAF/CEFID/UDESC/CNPq). 

Viviane Kawano Dias, Doutoranda em Desenvolvimento Humano e Tecnologias -UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

Doutoranda em Desenvolvimento Humano e Tecnologias -UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

Cinthia Beatriz da Fonseca, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Ivan Igor de Oliveira Sobrinho, Graduando em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Graduando em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Giselle Helena Tavares, Pós Doutoranda em Ciências da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

Pós Doutoranda em Ciências da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP. LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB,Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

Gisele Maria Schwartz, Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP, LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB, Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Motricidade-UNESP-Rio Claro, SP, LEL - Laboratório de Estudos do Lazer - Departamento de Educação Física, IB, Universidade Estadual Paulista / Rio Claro – SP.

Publicado

2015-02-05

Como Citar

CHAO, C. H. N.; FIGUEIREDO, J. de P.; DIAS, V. K.; FONSECA, C. B. da; OLIVEIRA SOBRINHO, I. I. de; TAVARES, G. H.; SCHWARTZ, G. M. ATIVIDADES DE AVENTURA NA NATUREZA E DESENVOLVIMENTO DO COMPORTAMENTO PRÓ-AMBIENTAL: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE IDOSOS E CONDUTORES. Movimento, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 169–180, 2015. DOI: 10.22456/1982-8918.46491. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/46491. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais