Resiliência: Uma Possibilidade de Adesão e Permanência na Prática do Futebol Feminino

Autores

  • Carlos Nazareno Ferreira Borges
  • Simone Magalhães Lopes
  • Claudia Aleixo Alves
  • Fábio Padilha Alves

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2893

Palavras-chave:

Resiliência. Gênero. Futebol.

Resumo

O presente trabalho investiga a possível existência de comportamento resiliente pelas meninas que praticam o futebol, tomando como amostra um grupo de meninas da classe pobre, praticantes da modalidade em Viçosa-MG. Diante das dificuldades encontradas para a adesão e permanência no futebol, comuns à classe social e ao gênero do grupo escolhido, acreditamos que a resiliência as mantém na prática, como recurso para a conquista de áreas de reserva masculina e participação no amplo movimento de emancipação social da mulher. A metodologia constou de observação partici pante, utilizando- se de anotações, fotografias e filmagens, que pudessem evidenciar o possível comportamento resiliente das meninas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-28

Como Citar

BORGES, C. N. F.; LOPES, S. M.; ALVES, C. A.; ALVES, F. P. Resiliência: Uma Possibilidade de Adesão e Permanência na Prática do Futebol Feminino. Movimento, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 105–131, 2007. DOI: 10.22456/1982-8918.2893. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2893. Acesso em: 28 jun. 2022.

Edição

Seção

Em foco