A Construção do Gênero no Espaço Escolar

Autores

  • Ileana Wenetz
  • Marco Paulo Stigger UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2891

Palavras-chave:

Estudos de Gênero. Recreio. Etnografia. Brincadeiras

Resumo

Procuramos, a partir das vertentes dos Estudos Culturais e de Gênero que se aproximam do pós-estruturalismo de Foucault, entender como o gênero e a sexualidade instituem modos diferenciados de ser menino/a no recreio escolar. Considerando que esse é um processo permeado por relações do poder, procuramos mapeá-las e identificá-las utilizando uma metodologia de inspiração etnográfica (observação participante e entrevistas) realizada, durante um ano, numa escola pública de Porto Alegre, RS. Focalizamos uma segunda e uma terceira série. Argumentamos que, através das brincadeiras, acontece uma aprendizagem não-formal e não-intencional, a partir da qual crianças apre(e)endem determinadas formas de feminilidade e de masculinidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-28

Como Citar

WENETZ, I.; STIGGER, M. P. A Construção do Gênero no Espaço Escolar. Movimento, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 59–80, 2007. DOI: 10.22456/1982-8918.2891. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2891. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Em foco