Caracterização do Xote e do Baião dançados no interior do Estado de São Paulo

Autores

  • Antonio Carlos de Quadros Junior UNESP - Rio Claro
  • Ellen Cristina Fontes UNESP - Rio Claro
  • Romualdo Dias UNESP - Rio Claro
  • Catia Mary Volp UNESP - Rio Claro

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.2347

Palavras-chave:

Dança. Folclore. Música. Cultura. Diagramação

Resumo

A Dança de Salão e o Forró fazem parte da cultura brasileira, e o Xote e o Baião fazem parte do Forró. O objetivo deste estudo foi diagramar as danças Xote e Baião no interior do Estado de São Paulo e descrever ritmicamente seus movimentos. Foram observados e filmados diversos casais universitários dançando Xote e Baião para análise e descrição discursiva e por meio de diagramas dos movimentos das danças. Identificamos duas estruturas básicas que denominamos de “Passo Básico Lateral” e “Passo Básico Frente e Trás”, e as variações “Abertura” e “Troca de Lugar com Giro”, muito utilizadas pelos casais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos de Quadros Junior, UNESP - Rio Claro

Formado em Bacharelado em Educação Física pela UNESP - Rio Claro, mestrando em Ciências da Motricidade, na mesma instituição. Proefssor de Dança de Salão há 8 anos.

Ellen Cristina Fontes, UNESP - Rio Claro

Formanda em Licenciatura em Educação Física pela UNESP - Rio Claro. Professora de Dança de Salão há 7 anos.

Romualdo Dias, UNESP - Rio Claro

Formado em Filosofia e Pedagogia, é professor assistente doutor da UNESP - Rio Claro. Pesquisa temas sobre corpo, subjetividade e educação.

Catia Mary Volp, UNESP - Rio Claro

Livre-docente em Atividades rítmicas e dança, é professora assistente doutor da UNESP - Rio Claro. Pesquisa temas sobre dança e estados emocionais do movimento.

Publicado

2009-03-06

Como Citar

QUADROS JUNIOR, A. C. de; FONTES, E. C.; DIAS, R.; VOLP, C. M. Caracterização do Xote e do Baião dançados no interior do Estado de São Paulo. Movimento, [S. l.], v. 15, n. 3, p. 233–247, 2009. DOI: 10.22456/1982-8918.2347. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2347. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais