TRANSIDENTIDADES PARA UMA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOLHEDORA

Autores

  • Carlos Henrique Rego Gonçalves Programa de Pós-graduação em Ciências da Atividade Física, Niterói, RJ e Colégio Pedro II https://orcid.org/0000-0002-9230-4620
  • Carlos Alberto Figueiredo da Silva Universidade Salgado de Oliveira, Programa de Pós-graduação em Ciências da Atividade Física, Niterói, RJ https://orcid.org/0000-0002-7429-932X

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.116297

Palavras-chave:

Educação Física. Interseccionalidade. Minorias sexuais e de gênero. Construção social do gênero.

Resumo

 

O objetivo deste estudo é discutir o processo de exclusão resultante de projetos curriculares pautados em identidades minoritárias prontas, de forma a questionar as representações sociais majoritárias naturalizadas na Educação Física. Utilizou-se a técnica de revisão bibliográfica do tipo qualitativa, constituindo-se como uma revisão narrativa. Foi consultado o banco de dados do Google Acadêmico, no período entre 2000 e 2021, utilizando-se indicador booleano e descritores entre aspas. Justifica-se este estudo em função de que vários caminhos didático-pedagógicos presentes na literatura desconsideram diversas subjetividades, experiências e diferenças existentes dentro das diferenças, negligenciando a construção de identidades formadas dentro dos próprios marcadores identitários. Conclui-se que, ao se incentivar a coalizão entre várias teorias pós-críticas, assegura-se o sabor de novidade e a verve revolucionária fundamental para resolução de problemas identitários e projetos curriculares que buscam suplantar qualquer tipo de ficção naturalizante.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Rego Gonçalves, Programa de Pós-graduação em Ciências da Atividade Física, Niterói, RJ e Colégio Pedro II

Graduado em Nutrição pela Universidade Gama Filho (2001). Licenciado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (2006). Especialista em Educação Física Escolar pela Universidade Católica de Petrópolis (2010). Atualmente é professor de Educação Física do Colégio Pedro II - Campus São Cristóvão II

Carlos Alberto Figueiredo da Silva, Universidade Salgado de Oliveira, Programa de Pós-graduação em Ciências da Atividade Física, Niterói, RJ

Graduado em Direito pela Universidade Federal Fluminense (1993) e licenciado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (1979), fez um estágio de pós-doutorado em gestão do desporto na Universidade do Porto, Portugal (2010), mestre (1997) e doutor em Educação Física (Educação Física e Cultura) pela Universidade Gama Filho (2002). Especializações em didática e metodologia de ensino (Universidade Estácio de Sá), MBA em estratégia (COPPEAD-UFRJ) e gestão da inovação educacional (UNISUAM). É atualmente avaliador de instituições de ensino superior do Ministério da Educação, professor colaborador da Universidade do Porto, no programa de mestrado em Gestão do Desporto, professor titular da Universidade Salgado de Oliveira no programa de mestrado em Ciências da Atividade Física, professor adjunto do Centro Universitário Augusto Motta, no programa de mestrado e doutorado em Desenvolvimento Local.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

GONÇALVES, C. H. R.; SILVA, C. A. F. da. TRANSIDENTIDADES PARA UMA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOLHEDORA. Movimento, [S. l.], v. 27, p. e27077, 2021. DOI: 10.22456/1982-8918.116297. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/116297. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais