A ANTIDOPAGEM EM FACE DAS DEMANDAS DA AGÊNCIA MUNDIAL: UMA ETNOGRAFIA DA ‘CONFORMIDADE’ EM AÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.111756

Palavras-chave:

Doping nos Esportes. Esportes. Política Pública. Sociologia.

Resumo

A “conformidade” é um instrumento utilizado pela Agência Mundial Antidopagem (WADA) para a aderência das agências nacionais às exigências do capturador. No presente artigo, descrevemos, com base na sociologia pragmática, as ações de atores no trabalho de constituição da “conformidade” da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), tendo em vista a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e o desenvolvimento de uma “cultura antidopagem”. A partir de uma etnografia multissituada, procuramos descrever os trabalhos dos mediadores, transformando, traduzindo, distorcendo e modificando os seus interesses. Elegemos como fontes de controvérsias a criação e funcionamento da ABCD; a aprovação do Código Brasileiro Antidopagem; e a constituição e funcionamento do Justiça Desportiva Antidopagem. O trabalho social de conquista da “conformidade” da ABCD reflete um processo de translação para a estabilização dessa comunidade nacional antidopagem protagonizada por uma agência de Estado e, portanto, na composição de uma política pública.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Giordani Vasques, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Doutor em Ciências do Movimento Humano (UFRGS), Licenciado e Mestre em Educação Física (UFSC). Professor Adjunto do Departamento de Expressão e Movimento do Colégio de Aplicação da UFRGS.

Mauro Myskiw, Departamento de Educação Física, Fisioterapia e Dança (DEFID), Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre.

Licenciado em Educação Física (UNIOESTE), Mestre em Ciência do Movimento Humano (UFSM), Mestre em Administração (UFSM), Doutor em Ciências do Movimento Humano (UFRGS). Prof. Adjunto de Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Patrick Trabal, Université Paris Nanterre.

Professor na Université Paris Nanterre. Diretor científico da cátedra UNESCO "Etude du dopage et analyse des politiques antidopage". Responsável científico do grupo "Sciences sociales et dopage".

Marco Paulo Stigger, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Doutor em Ciências do Desporto e Educação Física (Universidade do Porto). Mestre em Educação Física (UGF). Licenciado em Educação Física (UFRGS). Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Publicado

2021-07-12

Como Citar

VASQUES, D. G.; MYSKIW, M.; TRABAL, P.; STIGGER, M. P. A ANTIDOPAGEM EM FACE DAS DEMANDAS DA AGÊNCIA MUNDIAL: UMA ETNOGRAFIA DA ‘CONFORMIDADE’ EM AÇÃO. Movimento, [S. l.], v. 27, p. e27035, 2021. DOI: 10.22456/1982-8918.111756. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/111756. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais