Speed Schedule - Jogo para auxílio no estudo das políticas de escalonamento em Sistemas Operacionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-1654.93314

Palavras-chave:

Sistemas Operacionais. Escalonamento. Jogos Educativos

Resumo

Em cursos da área de exatas, disciplinas essencialmente teóricas muitas vezes se apresentam como uma dificuldade. Este artigo tem como objetivo geral apresentar um jogo que visa auxiliar a aprendizagem e fixação dos conceitos estudados na disciplina de Sistemas Operacionais, no que diz respeito às políticas de escalonamento de processos, o “Speed Schedule”. Inicialmente é mostrada a problemática dos alunos no aprendizado do conteúdo, as estratégias abordadas por alguns autores, e por fim o jogo é apresentado, sua descrição, funcionamento e como ele pode ser utilizado em sala de aula. Foram feitos testes preliminares com algumas turmas de Sistemas Operacionais do curso de Ciência da Computação de uma instituição de ensino superior e os resultados são apresentados. A conclusão é de que o jogo estimula o aprendizado e dá ao estudante uma visão real do funcionamento dos processos no processador dentro de um sistema operacional real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Tenorio Figueiredo, Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina - FACAPE

Possui Mestrado em Computação pela Universidade Federal de Pernambuco, graduação em Ciência da Computação pela Universidade Católica de Pernambuco (2001), onde obteve a láurea universitária e Especialização em Engenharia de Software pela Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina, onde também obteve a láurea universitária. Atualmente é professor auxiliar do quadro efetivo da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Jogos Eletrônicos, Sistemas Operacionais e Linguagens Formais.

Vivianni Marques Leite dos Santos, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF

Graduação em Engenharia Química (1997), mestrado em Engenharia Química (2000), na área de Processos Químicos Industriais, e doutorado em Química pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). Professora-Associado IV na UNIVASF. Atualmente Diretora Institucional de Inovação Tecnológica. Coordenadora da Regional FORTEC-NE 2019-2020. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação no ponto focal UNIVASF. Docente Permanente no Programa de Pós-Graduação em nível de Doutorado em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial. Experiência e formação complementar em Propriedade Intelectual no Japão. Presidente das Comissões Avaliadoras de Pedidos de Patente e de Pedidos de Registros de Programa de Computador sob titularidade da UNIVASF. Docente efetiva do Mestrado Profissional em Gestão Pública no ano de 2017. Editora chefe da Revista Indicação Geográfica e Inovação (INGI). Docente colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UNIVASF de 2012 a 2017. Coordenadora do Colegiado Acadêmico do Curso de Engenharia de Produção no biênio 11/2009-10/2011 e da CPA/UNIVASF no período de 11/2011 a 03/2016. Líder do grupo de pesquisa: "Propriedade Intelectual e Inovação em Processos, Produtos e Serviços, desde 2009". Experiência nas áreas: Gestão Ambiental, Gestão da Inovação, Agroenergia, Reciclagem, Impactos Ambientais e Modelagem Molecular. Também experiência como docente pesquisadora, orientadora e coordenadora em cursos na modalidade EaD.

Jorge Luis Cavalcanti Ramos, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF

Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Pernambuco (1992), com especialização em Informática em Educação pela Universidade Federal de Lavras-MG (2001). Possui mestrado (2006) e doutorado (2016) em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco. Foi professor, coordenador do curso de Ciência da Computação e diretor do Centro de Engenharia e Ciências Tecnológicas na FACAPE. Tem experiência nas áreas de Ensino a Distância Mediado por Computador (e-learning), Computação Gráfica, Mineração de Dados Educacionais e TI aplicada à gestão pública. Atualmente é Professor Adjunto do Curso de Engenharia de Computação da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), membro colaborador do Mestrado Profissional em Administração Pública (PROFIAP) e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial (PPGADT). Atua também nos diversos cursos a distância ofertados pela SEAD/UNIVASF.

Referências

CARVALHO, D. S. et al. Simulador para a Prática de Sistemas Operacionais. In. Revista Eletrônica da FMG, Juiz de Fora, 26 out. 2012.

CRUZ, E. H. M.; SILVA, V. P.; GONÇALVES, R. A. L. Sistema Operacional Integrado Simulado: Módulo de Entrada e Saída. In. Proceedings of XIV ERI-PR 2007, p. 89-98, 2007.

DEITEL, H. M.; DEITEL, ; CHOFFNES, D. R. Sistemas Operacionais 3ª Edição. São Paulo: Pearson, 2008.

FIGUEIREDO, R. T.; FIGUEIREDO, C. B. C. WarGrafos Jogo para Auxilio na Aprendizagem da Disciplina de Teoria dos Grafos. In. Proceedings of SBGames 2011, 2011.

GADELHA, R. N. S. et al. OS Simulator: Um Simulador de Sistema de Arquivos para Apoiar o Ensino/Aprendizagem de Sistemas Operacionais. In. Proceedings of SBIE 2010, 2010.

KIOKI, E. Y.; SANTIAGO, P. P.; SOARES, A. C. Um Simulador Didático como Ferramenta de Apoio ao Ensino da Disciplina de Sistemas Operacionais. INICIA, Santa Rita do Sapucaí (MG), p. 41-48, 2008.

LIMA, T. et al. Desenvolvimento de Jogos Educacionais para o Ensino de Engenharia de Software. In. Proceedings of SBGames 2011, 2011.

MACHADO, F. B.; MAIA, L. P. Um framework construtivista no aprendizado de Sistemas Operacionais – uma proposta pedagógica com o uso do simulador SOsim. In. Proceedings of 10th Annual Conference on Innovation and Technology in Computer Science Education, 2005.

MUÑOZ, Y. J. Por que ter Jogos Eletrônicos em Sala de Aula? In: VII Enpec – Encontro Nacional de Pesquisa em Educação e Ciências. Anais do Evento., Florianópolis: UFCS, 2009.

OLIVEIRA, G. P.; MARCO, A. S. Construção de Simuladores Gráficos para Teoria da Computação: uma proposta para o ensino do conceito de Máquinas de Turing. In: IV SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Anais do evento., Resende: AEDB, 2007.

REIS, F. P.; COSTA, H. A. X. TBC-SO/WEB: Software Educativo para Aprendizagem de Gerência de Processos e Gerência de Memória em Sistemas Operacionais. Universidade Federal de Lavras: Monografia, 2009.

RIBEIRO, T. P.; BERNARDES, R. L.; LOBO, E. A. Simulador de Rotinas do Sistema Operacional para Auxílio às Aulas Teóricas. In. Proceedings of Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação 2014, p. 737-748, 2014.

RIEDER, R.; ZANELATTO, E. M.; BRANCHER, D. J. Observação e Análise da Aplicação de Jogos Educacionais Bidimensionais em um Ambiente Aberto. In: Taller Internacional de Software Educativo. Actas do IX Taller Internacional de Software Educativo., Santiago, Chile, 2004.

RODRIGUES, G. D. Jogos Eletrônicos na sala de aula: possibilidades de ensino através do lúdico e do digital. In: Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Anais do XXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação., Brasília, 2006.

SAVI, R.; BORGATTO, A. F.; VON WANGENHEIN, C. G. Um Modelo de Avaliação de Jogos Educacionais na Engenharia de Software. In. Proceedings of 25th Brazilian Symposium on Software Engineering (SBES), São Paulo, 2011.

SENA, V. F. Um Software Educacional para o ensino de programação em C. UnB. Brasília. 2011.

TANENBAUM, A. S. Sistemas Operacionais Modernos 3ª Edição. São Paulo: Pearson, 2010.

TONINI, G. A.; LUNARDI, S. Simulador para o Aprendizado de sistemas Operacionais. In. Proceedings of SIRC 2006, 2006.

TSUDA, M. et al. Análise de métodos de avaliação de jogos educacionais. In. Proceedings of SBGames 2014, p. 158-166, 2014.

Downloads

Publicado

2020-05-25

Como Citar

FIGUEIREDO, R. T.; SANTOS, V. M. L. dos; RAMOS, J. L. C. Speed Schedule - Jogo para auxílio no estudo das políticas de escalonamento em Sistemas Operacionais. Informática na educação: teoria & prática, Porto Alegre, v. 23, n. 1 Jan/Abr, 2020. DOI: 10.22456/1982-1654.93314. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/93314. Acesso em: 12 ago. 2022.