Tecnologias digitais e assistivas: mediando o processo de aprendizagem profissional dos alunos

Autores

  • Kennedy Ferreira Araújo Centro Universitário Senai Cimatec + IFC
  • Lynn Rosalina Gama Alves Centro Universitário Senai Cimatec + UNEB

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-1654.75850

Palavras-chave:

educação inclusiva, tecnologia assistiva, ensino profissionalizante

Resumo

A participação de Pessoas com Deficiência - PcDs tem crescido no mercado de trabalho, pelo fato das empresas adotarem a responsabilidade social, mas principalmente pela obrigatoriedade imposta pela lei nº 8.213 que estabelece um percentual mínimo de empregabilidade destas pessoas. Contudo, a inserção desse grupo no mercado ainda é baixa, devido a falta de qualificação para atuar nos campos de trabalho. Nesse contexto, foi realizada a uma investigação de base qualitativa que objetivou identificar as tecnologias digitais e assistivas utilizadas pelos docentes dos cursos de aprendizagem profissional, através de questionário online respondido por 42 professores que atuam neste segmento. Os resultados foram sistematizados para fornecer um panorama das tecnologias utilizadas com PcDs, apontando os artefatos mais utilizados para mediar o processo de ensino-aprendizagem contemplando a singularidade de cada tipo de deficiência, além de subsidiar a concepção de uma plataforma colaborativa que visa socializar práticas e tecnologias utilizadas pelos docentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERSCH, Rita. Introdução à tecnologia assistiva. Porto Alegre: CEDI, 2008.

BRASIL. Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe Sobre Os Planos de Benefícios da Previdência Social e Dá Outras Providências. Brasília, Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8213cons.htm>. Acesso em: 11 ago. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece As Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 11 ago. 2017.

BRASIL. Portaria nº 2.344, de 05 de novembro de 2010. Resolução Nº 01, de 15 de Outubro de 2010, do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência - Conade. Brasília, Disponível em: <http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=05/11/2010&jornal=1&pagina=4&totalArquivos=144>. Acesso em: 11 ago. 2017.

BRASIL. Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas. Tecnologia Assistiva . Brasília: CORDE, 2009. 138 p

CORRÊA, Nesdete Mesquita; RODRIGUES, Ana Paula Neves. Tecnologia assistiva no Atendimento Educacional Especializado (AEE) de estudantes com deficiência. Revista Linhas, v. 17, n. 35, p. 87-101, 2016.

DANTAS, Álvaro Renan Santos et al. A RELEVÂNCIA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS: UMA ANÁLISE NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO/RO. Revista FAROCIÊNCIA, v. 1, n. 1, p. 17-23, 2016.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. A construção do conceito de Tecnologia Assistiva: alguns novos interrogantes e desafios. Revista entre ideias: educação, cultura e sociedade, v. 2, n. 1, 2013.

GARCIA, Jesus Carlos Delgado; GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Pesquisa nacional de tecnologia assistiva. São Paulo: ITS Brasil/MCTI-Secis, 2012.

GARCIA, Vinicius Gaspar; MAIA, Alexandre Gori. A inclusão de pessoas com deficiência e/ou limitação funcional no mercado de trabalho brasileiro de 2000 e 2010–panorama e mudanças em uma década. 2012.

GASPARETTO, Maria Elisabete Rodrigues Freire et al. Utilização de recursos de tecnologia assistiva por escolares com deficiência visual. Informática na educação: teoria & prática, v. 15, n. 2, 2012.

LOURENÇO, Gerusa Ferreira; MENDES, Enicéia Gonçalves; TOYODA, Cristina Yoshie. Recursos de Alta-Tecnologia Assistiva Disponíveis no Mercado Nacional: ferramentas para alunos com paralisia cerebral. Informática na Educação, p. 229-245, 2012.

MANICA, Loni Elisete; CALIMAN, Geraldo. A educação profissional para pessoas com deficiência: um novo jeito de ser docente. Brasília: Liber Livro, 2015.

MANZINI, Eduardo José. Formação do professor para trabalhar com recursos de tecnologia assistiva: um estudo de caso em Mato Grosso. Educação e Fronteiras, p. 98-113, 2012.

OLIVEIRA, ELIZÂNGELA DE SOUZA et al. Inclusão social: professores preparados ou não?. POLÊM!CA, v. 11, n. 2, p. 314 a 323, 2012. RODRIGUES, Patrícia Rocha; ALVES, Lynn Rosalina Gama. TECNOLOGIA ASSISTIVA-UMA REVISÃO DO TEMA/ASSISTIVE TECHNOLOGY-A REVIEW. HOLOS, v. 29, n. 6, p. 170, 2013.

ONU. Convention on the Rights of Persons with Disabilities and Optional Protoco. Nova Iorque: ONU, 2006. 37 p

PANSANATO, Luciano Tadeu Esteves; RODRIGUES, Luzia; SILVA, Christiane Enéas. Inclusão de estudante cego em curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas de uma instituição pública de ensino superior: um estudo de caso. Revista Educação Especial, v. 29, n. 55, p. 471-486, 2016.

PUPO, Deise Tallarico; MELO, Amanda Meincke; FERRÉS, Sofia Pérez. Acessibilidade: discurso e prática no cotidiano das bibliotecas. Campinas: Unicamp/Biblioteca Central Cesar Lattes, 2006.

ROCHA, Aila Narene Dahwache; DELIBERATO, Débora Deliberato. Atuação do terapeuta ocupacional no contexto escolar: o uso da tecnologia assistiva para o aluno com paralisia cerebral na educação infantil. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 23, n. 3, p. 263-273, 2013.

VIOLANTE, Rômulo Rodrigues; LEITE, Lúcia Pereira. A empregabilidade das pessoas com deficiência: uma análise da inclusão social no mercado de trabalho do município de Bauru, SP. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 14, n. 1, p. 73-91, 2011.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

ARAÚJO, K. F.; ALVES, L. R. G. Tecnologias digitais e assistivas: mediando o processo de aprendizagem profissional dos alunos. Informática na educação: teoria &amp; prática, Porto Alegre, v. 20, n. 4 dez, 2017. DOI: 10.22456/1982-1654.75850. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/75850. Acesso em: 1 fev. 2023.