Ensino de Lean Manufacturing usando Simulação Computacional e Aprendizagem Baseada em Problemas

Autores

  • Heráclito Lopes Jaguaribe Pontes Departamento de Engenharia de Produção - Universidade Federal do Ceará – UFC
  • Lucas De Almeida Braga Departamento de Engenharia de Produção - Universidade Federal do Ceará – UFC
  • Marcos Charles Pinheiro Baltazar Instituto Federal de Alagoas – IFAL
  • Marcos Ronaldo Albertin Departamento de Engenharia de Produção - Universidade Federal do Ceará – UFC

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-1654.102469

Palavras-chave:

Ensino. Simulação. Flexsim. Aprendizagem Baseada em Problema. Lean Manufacturing.

Resumo

Nos tempos atuais, de uso intensivo da informação e conhecimento, é preponderante a formação de profissionais qualificados para atuar na engenharia. As metodologias ativas apoiam a qualificação e o aprendizado no ensino das engenharias. Desta forma, esse estudo descreve o desenvolvimento e aplicação, em laboratório, de um jogo multiplayer focado no apoio ao ensino de Lean Manufacturing para alunos do curso de Engenharia de Produção. Foram utilizados a Simulação Computacional e a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP). Através de aplicações, foi possível qualificar o impacto do jogo e suas qualidades, por meio de questionários respondidos por alunos. Esta avaliação concluiu que os participantes concordaram que o jogo contribuiu para um melhor entendimento da gestão Lean. Os alunos afirmaram que tiveram a oportunidade de elaborar estratégias enquanto jogavam, validando a solução proposta neste estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heráclito Lopes Jaguaribe Pontes, Departamento de Engenharia de Produção - Universidade Federal do Ceará – UFC

Doutor em Engenharia em Engenharia Mecânica (área de concentração Manufatura) pela Universidade de São Paulo - USP (2012). Mestre em Engenharia Mecânica (área de concentração Manufatura) pela Universidade de São Paulo - USP (2006). Especialista em Gestão da Produção pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR (2006). Graduado em Engenharia de Produção Mecânica pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2004). Atualmente é Professor Adjunto IV do Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Ceará (UFC), Professor do Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior (UFC), Coordenador do Laboratório Observatório Tecnológico (OT) e Tutor do Programa de Educação Tutorial (PET). Trabalha em projetos nas áreas de Logística, Gestão da Produção e Tecnologia da Informação usando técnicas de Pesquisa Operacional e Inteligência Artificial.

Lucas De Almeida Braga, Departamento de Engenharia de Produção - Universidade Federal do Ceará – UFC

Graduado em Engenharia de Produção Mecânica pela Universidade Federal do Ceará - UFC

Marcos Charles Pinheiro Baltazar, Instituto Federal de Alagoas – IFAL

Professor na área de Logística do Instituto Federal de Alagoas. Mestre em Logística e Pesquisa Operacional pela Universidade Federal do Ceará (2015). Possui graduação em Telemática pela Universidade Estácio de Sá (2011). Possui experiência com implantação de sistema empresarial (ERP) na área de Suprimentos, Finanças, Controladoria e Mercado. Atualmente tem interesses na área de análise de dados, big data e inteligência em gestão.

Marcos Ronaldo Albertin, Departamento de Engenharia de Produção - Universidade Federal do Ceará – UFC

Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1983), mestrado em Engenharia Industrial - FH-Bochum Universität (1993) e doutorado em Engenharia de Produção pela URGS (2003). Atualmente é Prof. Associado e Chefe do Departamento de Engenharia de Produção do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Ceará. Trabalhou em empresas como: Mangels, Zahnrad Fabrik, OPEL, Marcopolo e DANA. Possui experiência em ISO 9001, TS 16949, STP e Gestão da Qualidade. Pós-doutorado no Bremer Institut für Produktion und Logistik (2009) em Monitoramento de Sistemas Produtivos. Pós-doutorado no IPK - Fraunhofer no tema Benchmarking (2013). Extensão universitária em garantia da qualidade para o ensino superior Vienna University of Technology, 2016). Capacitação em Berlim (2018).

Referências

ABDURAHIMAN, V; HIRATA, C. M.; KIENBAUM, G. s.; PAUL, R. J. An Intelligent Simulation Modelling Environment. In: VI International Conference on Inudstrial Engineering and Operations Management. São Paulo, 2000.

ABEPRO. Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/arquivos/websites/1/ref_curriculares_abepro.pdf>. Acesso em: 23 mar. 2019.

ALBERTIN, M. R.; PONTES, H. L. J. Administração da produção e operações. 1. ed. Curitiba: InterSaberes, 2016.

BANKS, J. Handbook of simulation: principles, methodology, advances, applications and practice. New York: John Wiley & Sons, 1998.

BASS, R. The problem of learning in higher education. Educause Review, v. 47, n. 2, p. 23–33, 2012.

BHASIN, S.; BURCHER, P. Lean viewed as a philosophy. Journal of Manufacturing Technology Management, v. 17, n. 1, p. 56–72, jan. 2006.

BORGES, M.; ALMEIDA, N. Perspectivas para engenharia nacional, desafios e oportunidades. Revista de Ensino de Engenharia, v. 32, n. 3, 2013.

BRAGA, L. A.; FREITAS, L. B.; PONTES, H. L. J.; ALBERTIN, M. R. Desenvolvimento de um jogo educaional sobre Lean Manufacturing em um software de simulação. In: XXXVII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO. ABEPRO, Joinville, 2017.

BRUUN, P.; MEFFORD, R. N. Lean production and the Internet. International Journal of Production Economics, v. 89, n. 3, p. 247–260, jun. 2004.

CAMPOS, V. F. Gerenciamento da rotina de trabalho do dia-a-dia. 8. ed. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços LTDA, 2004.

CASALE, A.; KURI, N. P.; SILVA, A. N. R. DA. Mapas cognitivos na avaliação da Aprendizagem Baseada em Problemas. Revista Portuguesa de Educação, v. 24, n. 2, p. 243–263, 2011.

CHUN, C.; DUDOIT, K.; FUJIHARA, S. GERSCHENSON, M.; KENNEDY, A.; KOANUI, B.; OGATA, V. STEARNS, J. Teaching Generation Z at the University of Hawai‘i. The IAFOR International Conference on Education. Anais...Honolulu: The International Academic Forum, 2017.

CORREIA BARREIRO, S.; BOZUTTI, D. F. Challenges and Difficulties to Teaching Engineering to Generation Z: A Case Research. Journal of Educational Psychology - Propositos y Representaciones, v. 5, n. 2, p. 127, 2017.

ERBA, E.; LEME, J.; ARRABAL, V. Implementação do sistema de entrega just in time em uma metalúrgica fornecedora de autopeças. [s.l.] Faculdade FGP, 2013.

ETHERINGTON, M. B. Investigative Primary Science: A Problem-based Learning Approach. Australian Journal of Teacher Education, v. 36, n. 9, 1 set. 2011.

FERREIRA, J. A. Jogos de empresas: modelo para aplicação prática no ensino de custos e administração do capital de giro em pequenas e médias empresas industriais. [s.l.] Universidade Federal de Santa Catarina, 2000.

FUDIN, S. Gen Z & What does it mean in your classroom? Disponível em: <https://rossieronline.usc.edu/gen-z-what-does-it-mean-in-your-classroom>. Acesso em: 28 mar. 2020.

GAVIRA, M. O. Simulação Computacional como uma ferramenta de Aquisição de conhecimento. [s.l.] Universidade de São Paulo, 2003.

GODINHO FILHO, M.; FERNANDES, F. C. F. Manufatura Enxuta: uma revisão que classifica e analisa os trabalhos apontando perspectivas de pesquisas futuras. Gestão & Produção, v. 11, n. 1, p. 1–19, abr. 2004.

HALF, R. Get Ready for Generation Z. Disponível em: <https://www.roberthalf.com/research-and-insights/workplace-research/the-secrets-to-hiring-and-managing-gen-z>. Acesso em: 21 maio. 2019.

HUANYIN, Z.; JINSHENG, L.; YANGIJE, W.; HONG, X.; MIN, Q. Computer simulation for undergraduate engineering education. 4th International Conference on Computer Science Education. Nanning, China, 2009.

KAPIL, Y.; ROY, A. A Critical Evaluation of Generation Z at Workplaces. . International Journal of Social Relevance & Concern, v. 2, n. 1, p. 10–14, 2014.

KHALIL, R. F. O Uso da Tecnologia de Simulação na Prática Docente do Ensino Superior. [s.l.] Universidade Católica de Santos, 2013.

KINCAID, J. P.; WESTERLUND, K. K. Simulationa in Education and Training. 2009 Winter Simulation Conference. Flórida: 2009.

LAW, A.; KELTON, D. Simulation modeling and analysis. New York: McGraw-Hill, 2000.

MACEDO, L.; SAPUNARU, R. Uma breve história da engenharia e seu ensino no brasil e no mundo: Foco Minas Gerais. Revista de Engenharia da Universidade Católica de Petrópolis, v. 10, n. 1, p. 39–52, 2016.

MARTINS, P. G.; LAUGENI, F. P. Administração da Produção. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

OHNO, T. O Sistema Toyota de Produção – Além da produção em larga escala. 1. ed. Porto Alegre: Bookman, 1997.

OLIVEIRA, F. P. S. DE; SOUZA, R. L. R. DE; MEDEIROS JUNIOR, J. V.; ANEZ, M. E. M.Aplicação da simulação empresarial no ensino da graduação. Gestão da Produção, Operações e Sistemas, v. 2, p. 43–49, 2007.

PEDGEN, C. D.; SHANNON, R. E.; SADOWSKI, R. P. Introduction to Simulating Using SIMAN. New York: McGrallHill, 1990.

PÓVOA, J. M.; BENTO, P. E. G. O Engenheiro, sua formação e o mundo do trabalho. XXXIII Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia. Campina Grande: ABENGE, 2005.

RIBEIRO, L. R. C. Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) na Educação em Engenharia. Revista de Ensino de Engenharia, v. 27, p. 23–32, 2008.

RIIS, J. O. Simulation Games and Learning in Production Management. London: Chapman & Hall, 1995.

ROTHMAN, D. A Tsunami of Learners Called Generation Z. Disponível em: <https://mdle.net/Journal/A_Tsunami_of_Learners_Called_Generation_Z.pdf>. Acesso em: 28 mar. 2020.

SAKURADA, N.; MIYAKE, D. Estudo comparativo de softwares de simulação de eventos discretos aplicados na modelagem de um exemplo de Loja de ServiçosXXIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais...Rio de Janeiro: ABEPRO, 2003.

SHINGO, S. O sistema toyota de produção: Do ponto de vista da engenharia de produção. 1. ed. Porto Alegre: Bookman, 1996.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

TASIR, Z.; HARUN, J.; HASSAN, S. A. H. S.; YUSOF, K. M. Effective Strategies for Integrating E-learning in Problem-based Learning for Engineering and Technical Education. Regional Conference on Engineering Education. Johor, Malaysia, 2005.

TEIXEIRA, R.; TEIXEIRA, I. Utilizando o software Arena como ferramenta de apoio ao ensino em engenharia de produçãoXVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Niterói: ABEPRO, 1998.

VIEIRA, K. A utilização do PBL nos cursos de Engenharia do Brasil: uma análise bibliométrica. Trabalho de Conclusão de Curso (Pós-graduação em Ciências e Tecnologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Joinville, 2015.

WANG, Y.; QI, Z.; LI, Z.; ZHANG, L. Institute–industry interoperation model: an industry-oriented engineering education strategy in China. Asia Pacific Education Review, v. 12, n. 4, p. 665–674, 16 dez. 2011.

WILLIAMS, P. J.; IGLESIAS, J.; BARAK, M. Problem based learning: application to technology education in three countries. International Journal of Technology and Design Education, v. 18, n. 4, p. 319–335, 20 out. 2008.

YUSOF, K.; TASIR, Z.; HARON, J.; HASSAN, S. A. H. S. Promoting Problem-based Learning in Engineering Courses at Universiti Teknologi Malaysia. 4th UNESCO Asia-Pacific Forum on Engineering and Technology Education. Bangkok, Thailand, 2005.

Downloads

Publicado

2021-06-10

Como Citar

PONTES, H. L. J.; BRAGA, L. D. A.; BALTAZAR, M. C. P.; ALBERTIN, M. R. Ensino de Lean Manufacturing usando Simulação Computacional e Aprendizagem Baseada em Problemas. Informática na educação: teoria &amp; prática, Porto Alegre, v. 24, n. 1 Jan/Abr, 2021. DOI: 10.22456/1982-1654.102469. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/102469. Acesso em: 12 ago. 2022.