Metodologias Ativas no Ensino Médio: experiência com sala de aula invertida e aprendizagem a pares

Autores

  • Luís Miguel Dias Caetano Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
  • Márcia Mychelle Nogueira Nascimento Universidade Federal de Santa Maria
  • Adriana Moreira Rocha Veiga Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-1654.102141

Palavras-chave:

Metodologias ativas, Sala de aula invertida, Aprendizagem a pares, Ensino médio

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar as percepções dos alunos sobre os processos de ensino e aprendizagem com utilização de metodologias ativas no ensino médio, particularmente, a sala de aula invertida e a aprendizagem a pares. As atividades foram realizadas numa turma de ensino médio na disciplina de História através da utilização de dispositivos móveis (tablets e celulares). Como metodologia seguimos uma abordagem qualitativa, recorrendo à técnica de estudo de caso e os dados foram coletados através de micronarrativas produzidas em formato de vídeo pelos alunos participantes. Os resultados apontam para o fato das metodologias ativas utilizadas terem um impacto significativo na aprendizagem ao nível da mudança de comportamentos e atitudes, nos níveis de concentração, nos níveis motivacionais e na maior interatividade. Os resultados apontam ainda como impacto no ensino um maior acompanhamento das aprendizagens e atribuição de novos papéis aos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Mychelle Nogueira Nascimento, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda em Educação, PPGE, UFSM

Adriana Moreira Rocha Veiga, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Educação Centro de Educação - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Referências

ALVES, L. Game Over: Jogos eletrônicos e violência. São Paulo: Editora Futura, 2005.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 4a ed. Lisboa: Edições 70, 2008.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC, 2018.

BONWELL, C.; EISON, J. Active learning: Creating excitement in the classroom. Washington: The George Washington University, 1991.

BRAGA, J. DE C. F. Ensino e aprendizagem de línguas via redes de participação. In: BRAGA, J. DE C. F. (Ed.). Integrando tecnologia no ensino de inglês nos anos finais do ensino fundamental. São Paulo: Edições SM, 2012. p. 8–21.

CAETANO, L. M. D. Tecnologia e Educação: quais os desafios? Educação | Santa Maria, v. 40, n. 2, p. 295 310, 2015.

CAETANO, L. M. D. Contribuições da tecnologia na pesquisa educacional. In: LENDL, A.; SAMPAIO, M. L.; OLIVEIRA, M. N. (Eds.). Pesquisas e ensino da leitura, literatura e língua portuguesa. Curitiba: Editora CRV, 2017. p. 121–136.

CALVO, A. H. Assim trabalham os colégios mais inovadores do mundo. São Paulo: Fundação Telefônica Vivo, 2016.

CARR, N. Os superficiais. Lisboa: Gradiva, 2012.

EISON, J. Using Active Learning Instructional Strategies to Create Excitement and Enhance Learning. Tampa: [s.n.]. Disponível em: <https://www.cte.cornell.edu/documents/presentations/Active Learning - Creating Excitement in the Classroom - Handout.pdf>.

FELDER, R.; BRENT, R. Active Learning: an Introduction. ASQ Higher Education Brief, v. 2, n. 4, p. 1–5, 2009.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 9a ed. Campinas. SP: Papirus, 2015.

KOSTER, R. A theory of fun for game design. Scottsdale, Arizona: ParaglyphPress, 2005.

LEITE, B. Aprendizagem Tecnológica Ativa. Revista Internacional de educação Superior, v. 4, n. 1, p. 1–30, 2018.

LIMA, B. S.; SANTOS, C. A. M. Peer-instruction Usando Ferramentas On-line. Revista de Graduação da USP, v. 1, n. 1, p. 83–90, 2016.

MARTINS, H. Tagxedo: criar nuvens de palavras. In: CARVALHO, A. A. (Ed.). Apps para dispositivos móveis: manual para professores, formadores e bibliotecários. Lisboa: Ministério da Educação, 2015. p. 289–298.

MAZUR, E. Peer Instruction: revolução da aprendizagem ativa. [s.l.] Penso, 2015.

MINAYO, M. C. DE S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 21a ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

MORAN, J. Educação Híbrida: um conceito chave para a educação, hoje. In: BACICH, L.; NETO, A. T.; TREVISANI, F. DE M. (Eds.). Ensino Híbrido: Personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015. p. 27–45.

MORAN, J. Metodologia ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, L.; MORAN, J. (Eds.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018. p. 1–25.

OBLINGER, D.; OBLINGER, J. Educating the Net Generation. Brockport Bookshelf: New York, 2005.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. 7a ed. Petrópolis: Vozes, 2016.

PRENSKY, M. Nativos Digitais, Imigrantes Digitais. On the Horizon, v. 9, n. 5, p. 01–06, 2001.

PRENSKY, M. Teaching Digital Natives. Thousand Oaks: Corwin, 2010.

PRINCE, M. Does active learning work? A review of the research. Journal of Engineering Education, v. 93, n. 3, p. 223–232, 2004.

RHEINGOLD, H. Smart mobs: The next social revolution. Cambridge: Perseus Publishing, 2003.

RODRIGUES, E. F. Tecnologia, inovação e ensino de história: o ensino híbrido e suas possibilidades. [s.l.] Universidade Federal Fluminense, 2016.

SAHAGOFF, A. P. Pesquisa Narrativa: uma metodologia para compreender a experiência humana. Sustentabilidade, Ciência e Ética, v. XI SEPesq, p. 2–7, 2015.

SANTOS, H.; VOLTER, B.; WELLER, W. Teorias e métodos. Civitas, v. 14, n. 2, p. 199–203, 2014.

VALENTE, A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida Blended Learning and Changes in Higher Education : the inverted classroom proposal. Educar em Revista, n. 4, p. 79–97, 2014.

VEEN, W.; VRAKKING, B. Homo zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Armed, 2009.

VIEIRA, J. M.; FERRONATO, C. Linguagem e a crise dos saberes: micronarrativas na pós-modernidade. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 10, n. 23, p. 175–186, 2017.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2a ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2020-11-22

Como Citar

CAETANO, L. M. D.; NASCIMENTO, M. M. N.; ROCHA VEIGA, A. M. Metodologias Ativas no Ensino Médio: experiência com sala de aula invertida e aprendizagem a pares. Informática na educação: teoria &amp; prática, Porto Alegre, v. 23, n. 2 Mai/Ago, 2020. DOI: 10.22456/1982-1654.102141. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/102141. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Edição Especial - Artigos Premiados no Ciclo CINTED 2019