GAF.Educação: desafios e potencialidades para o desenvolvimento da M-learning

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-1654.101979

Palavras-chave:

M-learning, Objeto de aprendizagem, Autoria, Competência tecnológica, GAF.Educação

Resumo

Este artigo apresenta-se em uma versão estendida de um trabalho anterior sobre a criação e uso do aplicativo educacional GAF. EDUCAÇÃO. Diante desse contexto, objetiva-se analisar as potencialidades e desafios para utilização do GAF. EDUCAÇÃO, como um objeto de aprendizagem para o desenvolvimento da M-learning em sala de aula. Neste sentido, tem o propósito de contribuir nos processos de autoria e construção de competências tecnológicas com alunos através do uso dos dispositivos móveis (DM). A metodologia utilizada para o seu desenvolvimento envolveu quatro etapas: concepção do projeto; referencial teórico e planejamento; implementação e avaliação, com 20 estudantes do ensino médio. O Objeto de Aprendizagem (OA) apresenta materiais complementares visando introduzir conteúdo de Geografia, Arte e Filosofia através dos DM no contexto escolar. Como resultados, constatou-se que o GAF.Educação pode auxiliar os discentes na pesquisa, comunicação, autoria e na capacitação para utilização de diferentes tecnologias, contribuindo no processo de ensino aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Tanise Raphaelli Bosquerolli Antunes, E.E.E.M.José Joaquim de Andrade/SEDUC/RS

Licenciada em Geografia; Especialista em Ciências Sociais: História e Geografia Economica do Brasil; Especialista em Supervisão Escolar; Especialista em Mídias na Educação; Mestranda em Educação.

Anna Helena Silveira Sonego

Pós-Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Informática em Educação (PPGIE/UFRGS). Doutora em Educação pela Faculdade de Educação (FACED/ UFRGS), na linha de pesquisa Tecnologias Digitais na Educação (2019). Pesquisadora no Núcleo tecnológico digital aplicada a educação (NUTED/UFRGS) desde 2015. Mestra em Educação, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFSM).

Referências

AMANTE, Lúcia; MORGADO, Lina. Metodologia de concepção e desenvolvimento de aplicações educativas: o caso dos materiais hipermídia. Disponível em: https://repositorioaberto.uab.pt/bitstream/10400.2/4348/1/L%C3%BAcia%20Amante_Lina%20Morgado.pdf>. Acessado em 10 de out de 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017.

_________. Lei nº 9394/96 de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, Brasil: Senado Federal, 2017.

_________. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Brasília, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/programa-saude-da-escola/195-secretarias-112877938/seb-educacao-basica-2007048997/12598-publicacoes-sp-265002211.

DEMO, Pedro. Atividades de aprendizagem: sair da mania do ensino para comprometer-se com a aprendizagem do estudante [recurso eletrônico] / Pedro Demo. Campo Grande, MS: Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso do Sul – SED/MS, 2018. 180 p., 1,27 MB; ePDF

_________. Aprendizagem e novas tecnologias. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física – ISSN 2175-8093 – Vol. 1, n. 1, p.53-75, Agosto/2009. Disponível em: http://www.pucrs.br/ciencias/viali/doutorado/sat/textos/80-388-1-PB.pdf

_________. Autoria do aluno. Prof. Pedro Demo Blog. São Paulo, 31 de Janeiro de 2018. Disponível em: < https://docs.google.com/document/d/e/2PACX-1vQ3Ztdnl_XZleXiSDen_Dm-LxpiBpoHrcREehRRkr15xbkkPcyrfrsJsS65Kcf7nXs4QV74VCgaNvUq/pub>.

_________. Aprender como autor. São Paulo: Atlas, 2015.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 38 ed. rev. e atual. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

_________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. 54 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

MELO, Rafaela da Silva; CARVALHO, Marie Jane Soares. Aplicativos educacionais livres para mobile learning. Revista Tecnologias na Educação, Ano 6, nº 10, jul/2014. Disponível em: < http://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2015/07/Art3-ano6-vol10-julho2014.pdf>. Acessado em: 10 de ago de 2018.

MINAYO, M. C. de S. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21 ed. Rio de Janeiro (Brasil): Vozes, 2002.

MORAN, José Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 5ª ed. Caminas, SP: Papirus, 2012.

MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21 ed. rev. e atual. Campinas – SP:Papirus, 2013.

PAPERT, Seymour. ¿Cómo pensar sobre tecnología y aprendizaje? - Una llamadaal diálogo. Revista DIM: Didáctica, Innovación y Multimedia, Núm. 1, Junio 2005.

PERRENOUD, Philippe. Desenvolver competências ou ensinar saberes? A escola que prepara para a vida. Tradução: Laura Solange Pereira. Porto Alegre, RS: Penso, 2013.

SONEGO, Anna Helena Silveira; BEHAR, Patricia Alejandra. M-Learning: Reflexões e Perspectivas com o uso de aplicativos educacionais. Nuevas Ideas en Informática Educativa TISE 2015, v. 11. Disponível em: <http://www.tise.cl/volumen11/TISE2015/521-526.pdf>. Acessado em: 25 de abr de 2018

SONEGO, Anna Helena Silveira; et al. Objeto de Aprendizagem EDUMOBILE - estratégias pedagógicas para o uso da m-learning em sala de aula: do planejamento à implementação. Anais do 16° Ergodesign – Congresso Internacional de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces Humano Tecnológica: Produto, Informações Ambientes Construídos e Transporte 16° USIHC – Congresso Internacional de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces Humano Computador CINAHPA | 2017 – Congresso Internacional de Ambientes Hipermídia para Aprendizagem.

UNESCO. Diretrizes de políticas para a aprendizagem móvel. Publicado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, UNESCO, 2014, Paris, France. Tradução Rita Brossard. Disponível em:<http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/diretrizes_ de_politicas_da_unesco_para_a_aprendizagem_movel_pdf_only/#.VZ5E0vgju1E>. Acessado em: Set de 2018.

VALENTE, José Armando [Organizador]. O computador na sociedade do conhecimento. Coleção Informática para mudança na educação. Ministério da Educação - Secretaria de Educação à Distância. Brasília, Brasil: Programa Nacional de Informática na Educação, 2005.

VALENTE, José Armando; MORAN, José Manuel. Educação a distância: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2011.

Downloads

Publicado

2020-11-22

Como Citar

RAPHAELLI BOSQUEROLLI ANTUNES, M. T.; SILVEIRA SONEGO, A. H. GAF.Educação: desafios e potencialidades para o desenvolvimento da M-learning. Informática na educação: teoria &amp; prática, Porto Alegre, v. 23, n. 2 Mai/Ago, 2020. DOI: 10.22456/1982-1654.101979. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/101979. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Edição Especial - Artigos Premiados no Ciclo CINTED 2019