CONHECIMENTOS INDÍGENAS E O PENSAMENTO DE BOAVENTURA DE SOUZA SANTOS: REFLEXÕES A PARTIR DE PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES/AS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.94696

Palavras-chave:

Formação, Professores Indígenas, Boaventura de Souza Santos.

Resumo

O artigo desenvolve reflexões sobre conhecimentos indígenas identificados ao longo de processos investigativos participativos na área da formação de professores/as, tecendo relações com o pensamento de Boaventura de Souza Santos. A discussão ocorre através de três experiências desenvolvidas na Amazônia brasileira, sendo dois cursos de formação continuada e uma disciplina de Licenciatura Indígena Intercultural. A partir de categorias do pensamento do autor, como Sociologias das Ausências e das Emergências, Ecologia de Saberes e Teoria da Tradução, o texto apresenta ideias sobre a importância dos conhecimentos indígenas para mudanças de pensamento necessárias à educação e à sociedade, bem como sobre os impactos ocasionados a esse conjunto de saberes por processos colonizadores e homogeneizantes da racionalidade hegemônica. Além disso, destaca a potencialidade investigativa de experiências de formação de professores/as indígenas, demonstrada através dessas trajetórias de participação, interlocuções e reflexões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Osorio Stumpf, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU) da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC).

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

STUMPF, B. O. CONHECIMENTOS INDÍGENAS E O PENSAMENTO DE BOAVENTURA DE SOUZA SANTOS: REFLEXÕES A PARTIR DE PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES/AS. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 288, 2020. DOI: 10.22456/1982-6524.94696. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/94696. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS