FARMACOPEIA ODONTOLÓGICA DOS INDÍGENAS BRASILEIROS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA ACERCA DO USO E BIOATIVIDADE

Autores

  • Deyvison Rhuan Vasco dos Santos Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Vanessa Cardoso Pereira Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Rosângela Maria Pereira Valões Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Artur Gomes Dias Lima Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Anderson da Costa Armstrong Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)
  • Carlos Alberto Batista Dos Santos Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.83781

Palavras-chave:

Conhecimento tradicional, Bioeficácia, Saúde bucal, Povos indígenas

Resumo

: Comunidades indígenas são detentoras de um rico conhecimento acerca do uso de plantas medicinais empregadas em seus complexos sistemas terapêuticos. Entretanto, apesar do avanço nas pesquisas etnomedicobotânicas que visam compreender a tríplice homem-saúde-flora, as insuficientes informações sobre o tema fragilizam o entendimento do real perfil de saúde dessas populações, inclusive sobre a saúde bucal. Desse modo, este estudo teve como objetivo realizar o levantamento de plantas medicinais utilizadas por comunidades indígenas brasileiras para saúde bucal, bem como investigar a bioatividade descrita para as espécies encontradas através de uma revisão sistemática. Os trabalhos acessados mencionam 17 etnoespécies com diferentes partes utilizadas, formas de preparo e modos de uso. Entre estas, 29% possuem propriedades descritas para odontologia, as quais corroboram a indicação tradicional, 47% possuem propriedades médicas que justificam a utilização, como antimicrobiana e anti-inflamatória, enquanto 24% não possuem potenciais para saúde disponível na literatura acessada. O levantamento endossa a riqueza do conhecimento botânico medicinal indígena do Brasil e sua eficácia na profilaxia e tratamento bucal, porém evidencia a necessidade de mais estudos direcionados à área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deyvison Rhuan Vasco dos Santos, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Mestrando em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (Universidade do Estado da Bahia).

Vanessa Cardoso Pereira, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Mestranda em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (Universidade do Estado da Bahia)

Rosângela Maria Pereira Valões, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Mestranda em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (Universidade do Estado da Bahia)

Artur Gomes Dias Lima, Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Doutor em Biologia Parasitária (Fundação Oswaldo Cruz). Professor Pleno da Universidade do Estado da Bahia, Departamento Ciências da Vida, Campus I e Professor Adjunto da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Anderson da Costa Armstrong, Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Doutor em Medicina e Saúde Humana (Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública). Professor da Universidade do Estado da Bahia e da Universidade Federal do Vale do São Francisco

Carlos Alberto Batista Dos Santos, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutor em Etnobiologia e Conservação da Natureza, Universidade do Estado da Bahia, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental

Downloads

Publicado

2019-06-30

Como Citar

VASCO DOS SANTOS, D. R.; PEREIRA, V. C.; VALÕES, R. M. P.; DIAS LIMA, A. G.; ARMSTRONG, A. da C.; SANTOS, C. A. B. D. FARMACOPEIA ODONTOLÓGICA DOS INDÍGENAS BRASILEIROS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA ACERCA DO USO E BIOATIVIDADE. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 13, n. 1, p. 278, 2019. DOI: 10.22456/1982-6524.83781. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/83781. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

ENSAIOS BIBLIOGRÁFICOS