A ESCOLA NA CIDADE E A ESCOLA NA ALDEIA: A CRIAÇÃO DO COLÉGIO ESTADUAL INDÍGENA BENEDITO ROKAG, TERRA INDÍGENA KAINGANG APUCARANINHA (TAMARANA/PR)

Autores

  • Flor Magali Aguilar Lopez Universidade Federal de São Carlos
  • Luiz Antonio Norder Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.66580

Palavras-chave:

educação escolar indígena, ensino médio, identidade, movimento indígena, discriminação.

Resumo

Este texto analisa as interpretações da população kaingang da Terra Indígena Apucaraninha (Tamarana/PR) sobre a criação do Colégio Estadual Indígena Benedito Rokag, situado no interior da aldeia, e realiza uma comparação com o período anterior, quando os indígenas se deslocavam até a sede do distrito mais próximo para cursar o ensino médio. A revisão bibliográfica, a entrevista semiestruturada e a observação direta foram os instrumentos utilizados para a coleta e análises de dados. Os resultados da pesquisa de campo indicaram as principais dificuldades dos alunos indígenas para cursar o ensino médio em um distrito rural no entorno da Terra Indígena, entre as quais se destaca o preconceito, e também os principais benefícios e desafios associados à implementação do Colégio no interior da aldeia, com destaque para a importância da escola para a (re)construção da identidade social e cultural dos jovens indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flor Magali Aguilar Lopez, Universidade Federal de São Carlos

Este texto analisa as interpretações da população da Terra Indígena Kaingang Apucaraninha (Tamarana, PR) sobre a criação do Colégio Estadual Benedito Rokag, situado no interior da aldeia, e realizar uma comparação com o período anterior, quando os indígenas se deslocavam até a sede do distrito mais próximo para estudar o ensino médio. A revisão bibliográfica, a entrevista semiestruturada e a observação direta foram os instrumentos utilizados para a coleta e análises de dados. Os resultados da pesquisa de campo indicaram as principais dificuldades dos alunos indígenas para estudar o ensino médio em um distrito rural no entorno da Terra Indígena, entre as quais destaca-se o preconceito, como também os principais benefícios e desafios associados à implementação do Colégio no interior da aldeia, com destaque para a importância da escola para a (re)construção da identidade social e cultural dos jovens indígenas.

Luiz Antonio Norder, Universidade Federal de São Carlos

Este texto analisa as interpretações da população da Terra Indígena Kaingang Apucaraninha (Tamarana, PR) sobre a criação do Colégio Estadual Benedito Rokag, situado no interior da aldeia, e realizar uma comparação com o período anterior, quando os indígenas se deslocavam até a sede do distrito mais próximo para estudar o ensino médio. A revisão bibliográfica, a entrevista semiestruturada e a observação direta foram os instrumentos utilizados para a coleta e análises de dados. Os resultados da pesquisa de campo indicaram as principais dificuldades dos alunos indígenas para estudar o ensino médio em um distrito rural no entorno da Terra Indígena, entre as quais se destaca o preconceito, como também os principais benefícios e desafios associados à implementação do Colégio no interior da aldeia, com destaque para a importância da escola para a (re)construção da identidade social e cultural dos jovens indígenas.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

AGUILAR LOPEZ, F. M.; NORDER, L. A. A ESCOLA NA CIDADE E A ESCOLA NA ALDEIA: A CRIAÇÃO DO COLÉGIO ESTADUAL INDÍGENA BENEDITO ROKAG, TERRA INDÍGENA KAINGANG APUCARANINHA (TAMARANA/PR). Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 10, n. 2, p. 11, 2016. DOI: 10.22456/1982-6524.66580. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/66580. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS