HEGEMONIA E OS PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO INDÍGENA NO MÉXICO E NO BRASIL (1940 — 1970)

Autores

  • Ligia Duque Platero Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.65655

Palavras-chave:

Política indigenista, educação escolar indígena, língua nacional, Instituto Nacional Indigenista, Serviço de Proteção ao Índio

Resumo

Neste artigo, apresento informações sobre os programas de educação indígena das agências indigenistas do Brasil e do México, entre 1940 e 1970, e realizo uma breve discussão sobre a influência desses programas nos processos de formação de hegemonia dos Estados ampliados entre os povos indígenas desses países, no período citado. Nas escolas do Instituto Nacional Indigenista (INI), no México, e principalmente do Serviço de Proteção aos Índios (SPI), no Brasil, as escolas enfatizaram o ensino da língua nacional em seus currículos e influenciaram na criação da ideia da existência da nacionalidade mestiça, visando o desenvolvimento e a integração dos povos indígenas à nação. Em ambos os países, missões religiosas participaram da educação indígena e aqui destaco a atuação do Summer Institute of Linguistics (SIL). No México, a participação dos promotores culturais bilíngues como intermediários culturais entre as instituições indigenistas e as comunidades resultou na grande importância da educação indígena para a formação da hegemonia. Já no caso do Brasil, os professores e professoras eram não indígenas e sua influência foi mais restrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ligia Duque Platero, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Bacharel e Licenciada em História, Mestre em Estudos Latinoamericanos e Doutoranda em Antropologia no Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) da UFRJ.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

DUQUE PLATERO, L. HEGEMONIA E OS PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO INDÍGENA NO MÉXICO E NO BRASIL (1940 — 1970). Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 229, 2017. DOI: 10.22456/1982-6524.65655. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/65655. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS