“SEM TEKOA NÃO HÁ TEKO – SEM TERRA NÃO HÁ CULTURA”: ESTUDO E DESENVOLVIMENTO AUTO-SUSTENTÁVEL DE COMUNIDADES INDÍGENAS GUARANI

Autores

  • Aldo Litaiff UFSC e Unisul

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.6001

Palavras-chave:

Índios Guarani, etnodesenvolvimento, auto-sustentabilidade, terra

Resumo

A finalidade deste artigo é relatar os resultados do projeto “Sem tekoa não há teko, sem terra não há cultura: estudo e desenvolvimento auto-sustentável de comunidades indígenas guarani”. Executado conjuntamente pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina), entre março de 2002 e dezembro de 2007, o projeto visava como objetivo geral, incentivar formas econômicas apropriadas ao etnodesenvolvimento e à auto-sustentabilidade de terras indígenas guarani localizadas no litoral do Estado de Santa Catarina, medida compatível com “teko”, ou seja, modo de ser ou cultura guarani.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aldo Litaiff, UFSC e Unisul

PPGCL/Unisul e Museu da UFSC. Graduação em Filosofia pela UFSC (1986); Mestrado em Antropologia pela UFSC (1991); Doutorado em Antropologia pela Universidade de Montreal, Canadá (2000),; Pós-doutorado pela EHESS/França.

Downloads

Publicado

2008-12-31

Como Citar

LITAIFF, A. “SEM TEKOA NÃO HÁ TEKO – SEM TERRA NÃO HÁ CULTURA”: ESTUDO E DESENVOLVIMENTO AUTO-SUSTENTÁVEL DE COMUNIDADES INDÍGENAS GUARANI. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 2, n. 2, p. 115, 2008. DOI: 10.22456/1982-6524.6001. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/6001. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS