CORPOREIDADE E GÊNERO EM REVISTAS BRASILEIRAS DE CIÊNCIAS HUMANAS (2008-13): LIMITES E CONTRIBUIÇÕES AO DEBATE SOBRE POVOS INDÍGENAS A PARTIR DO CASO TEMBÉ-TENETEHARA

Autores

  • Camille Gouveia Castelo Branco Barata Universidade Federal do Pará
  • Jane Felipe Beltrão Universidade Federal do Pará/Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnlógico

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.46757

Palavras-chave:

povos indígenas, gênero, corporeidade, mulheres tembé-tenetehara, revisão bibliográfica.

Resumo

O trabalho realiza uma revisão bibliográfica acerca da discussão sobre a questão do corpo compreendida nos estudos de gênero no Brasil, e problematiza em que medida a produção sobre o tema focaliza os povos indígenas em suas análises, considerando a importância dos coletivos etnicamente diferenciados na literatura antropológica. Para esse fim, realiza-se um levantamento bibliográfico em três dos mais importantes periódicos brasileiros qualificados nas últimas avaliações (2010/2013) pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES): Estudos Feministas, Cadernos Pagu e Horizontes Antropológicos. Por fim, analisa-se como a corporeidade se constrói entre mulheres tembé-tenetehara a partir das pesquisas realizadas em diálogo com esse povo. Tem-se em vista a centralidade do corpo entre povos indígenas e o restrito uso da categoria gênero quando se trabalha entre esses povos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camille Gouveia Castelo Branco Barata, Universidade Federal do Pará

Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Foi monitora da disciplina Antropologia Jurídica na Faculdade de Direito da UFPA e aluna especial do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPA, ambos em 2013. Atualmente é bolsista de Iniciação Científica do CNPq no Projeto "Aborto, Infanticídio, sexualidade e direitos humanos: entre os escritos do Judiciário e as práticas de povos tradicionais" e integrante do Núcleo de Estudos Cidade, Aldeia e Patrimônio, ambos sob coordenação da Profa. Dra. Jane Felipe Beltrão.

Jane Felipe Beltrão, Universidade Federal do Pará/Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnlógico

Sou mestre em Antropologia pela Universidade de Brasília (UnB) e doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Exerço, como docente associado, atividades junto a Universidade Federal do Pará (UFPA) lotada no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas com atuação nos programas de pós-graduação em Antropologia e em Direito. Formo e oriento novos profissionais nas áreas de Antropologia, Direito e Saúde dentro de perspectiva interdisciplinar. Coordeno projetos de pesquisa com faces interdisciplinares com ênfase nas áreas de Antropologia, História e Direito entre povos tradicionais indígenas e não-indígenas dialogando a partir da educação, da saúde e dos direitos diferenciados, com os necessários recortes de gênero e etnicidade, de educação e cidadania, e particularmente de direitos humanos e étnicos. Interajo com outros profissionais com quem publico sistematicamente, inclusive, textos didáticos para utilização em cursos de formação de professores e para o quotidiano escolar. Trabalho com patrimônio histórico e antropológico com ênfase em coleções etnográficas e na elaboração de vistorias e laudos antropológicos.

Downloads

Publicado

2014-12-20

Como Citar

GOUVEIA CASTELO BRANCO BARATA, C.; FELIPE BELTRÃO, J. CORPOREIDADE E GÊNERO EM REVISTAS BRASILEIRAS DE CIÊNCIAS HUMANAS (2008-13): LIMITES E CONTRIBUIÇÕES AO DEBATE SOBRE POVOS INDÍGENAS A PARTIR DO CASO TEMBÉ-TENETEHARA. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 11, 2014. DOI: 10.22456/1982-6524.46757. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/46757. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS