REPENSANDO O ANIMADO, REANIMANDO O PENSAMENTO

Autores

  • Tim Ingold

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.43552

Palavras-chave:

Animismo, ontologia relacional, movimento, mundo-clima, ciência.

Resumo

O animismo é frequentemente descrito como a atribuição de vida a objetos inertes. Essa atribuição é mais facilmente encontrada entre pessoas oriundas das sociedades ocidentais que sonham em encontrar vida em outros planetas do que entre povos indígenas a quem o rótulo de animistas foi tradicionalmente aplicado. Esses povos não estão unidos por suas crenças, mas na maneira de ser que está viva e aberta para um mundo em contínuo nascimento. Nessa ontologia anímica, os seres não se movem em um mundo já acabado, deslocam-se em um mundo em formação, de acordo com suas relações. Para seus habitantes, esse mundo-clima, abrangendo tanto o céu quanto a terra, é uma fonte de assombro, mas não de surpresa. A reanimação da tradição do pensamento ‘ocidental’ significa recuperar a capacidade de assombrar-se, banida da ciência oficial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-28

Como Citar

INGOLD, T. REPENSANDO O ANIMADO, REANIMANDO O PENSAMENTO. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 7, n. 2, p. 10, 2013. DOI: 10.22456/1982-6524.43552. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/43552. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS