JAXY E JAXY JATERÊ

O PONTO DE VISTA GUARANI E DE OUTROS POVOS AMERÍNDIOS SOBRE A ORIGEM DA LUA, AS CONSTELAÇÕES E O SACI-PERERÊ (SEGUNDA PARTE)

Autores

Resumo

O Saci-Pererê é um personagem admirável. A contribuição ameríndia à vida dessa figura ‒ nomeada também de Jaxy Jaterê, Mati-taperê, Xaxim-Tarerê, Yasy-yateré, Kambá’í, Saci-ave, Matinta-Perera, entre outros nomes ‒ é instigante e paradigmática. O presente texto, que se divide em duas partes, enfatiza as narrativas sobre Saci, publicadas nas áreas de mitologia, etnologia ameríndia e astronomia cultural, as mesmas produzidas a partir de interlocutores afro-americanos e ameríndios (Tupiniquim, Tupinambá, Kayowa, Taurepang, Surui-Paiter, em especial, Mbyá e Chiripa). Na Primeira Parte, publicada no número anterior da Revista Espaço Ameríndio, os objetivos foram os seguintes: apresentação da diversidade de Saci-Pererê que vive na América Latina e outros continentes; indicação da importância da mitologia enquanto teoria e método de tradução desses personagens, além de trazer dados etnológicos sobre os Guarani; revelação da relação do Saci com a origem da lua, além de uma apresentação das constelações tupi-guarani. Agora, na Segunda Parte, artigo apresentado ao leitor neste instante, os objetivos são: destacar a importância do Saci-Pererê e dos personagens pernetas, além da origem do corte da sua perna; a partir da categoria (dono, mestre) dos Guarani, demonstrar a ligação das divindades Ñanderú, Tupã kuéry, Karaí, Kuaray e Jaxy com as plantas, os animais, o Saci-Pererê e o Curupira; por fim, revelar as conexões do Saci-Pererê à categoria afroindígena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-09-28

Como Citar

GONÇALVES DA ROSA, R. R. JAXY E JAXY JATERÊ: O PONTO DE VISTA GUARANI E DE OUTROS POVOS AMERÍNDIOS SOBRE A ORIGEM DA LUA, AS CONSTELAÇÕES E O SACI-PERERÊ (SEGUNDA PARTE). Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 1–32, 2022. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/126696. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS