TERRITORIALIDADES ORIGINÁRIAS E A COSMOLOGIA KAIOWÁ E GUARANI: AUTO-ORGANIZAÇÃO CONTRA O AGRONEGÓCIO, OS CRIMES SOCIOAMBIENTAIS E A PANDEMIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.114322

Palavras-chave:

cosmologia, conhecimento tradicional, doença.

Resumo

Na região sul do estado de Mato Grosso do Sul os povos Kaiowá e Guarani constroem uma luta incessante contra a usurpação de seus territórios tradicionais pelas fronteiras extrativistas do agronegócio que é dominante na região. Nesse sentido, a pandemia da Covid-19 fez emergir profundas reflexões, narrativas e ações frente a mais um contexto de enfrentar o paradoxo de sobreviver às epidemias as quais não foram responsáveis. Desta forma, buscamos tecer e compartilhar algumas reflexões que por um lado evidenciem elementos sobre a cosmologia, a biopolítica e a geopolítica da pandemia e que por outro lado, demonstrem as múltiplas estratégias de resistência frente ao agronegócio e no enfrentamento a Covid-19. Metodologicamente, reunimos referenciais teóricos, a partir de um levantamento bibliográfico que teve como referenciais as lutas socioterritoriais e a cosmologia Kaiowá e Guarani contra a pandemia, o colonialismo, o Estado e os crimes do agronegócio. Objetivando aprofundar o diálogo e ampliar a construção de conhecimentos apresentamos no desenvolvimento final dos resultados e discussão uma passagem a respeito da ótica Kaiowá e Guarani sobre saúde, doenças e pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliel Benites, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGG/UFGD). Professor na Licenciatura Intercultural Indígena na FAIND/UFGD. Tem experiência na área de botânica com ênfase em ensino de ciências.

Gislaine Monfort, Universidade Federal da Grande Dourados

Geógrafa, atualmente é discente do Programa de Pós Graduação de Geografia da Universidade Federal da Grande /PPGG/UFGD - Bolsista CAPES. É graduada em Geografia - Licenciatura pela mesma Universidade onde desenvolveu Iniciação Científica entre 2017-2019 com pesquisas junto aos povos Kaiowá e Guarani relacionadas à espaços autogestionados em contextos de intensa fragmentação e precarização territorial. Participou também do Programa de Iniciação à Docência entre os anos de 2016-2017. Participa do Grupo de Pesquisa Geografias e Povos Indígenas e do Coletivo Autônomo de Apoio Mútuo às Mulheres Indígenas (MS). Tem experiência e interesse em estudos relacionados a: autonomias territoriais indígenas; lutas anticoloniais; lutas e movimentos de libertação das mulheres; saberes tradicionais, sistemas socioecológicos e multiplicidade territorial; crises ecológicas e Ecologia Política. Em busca de profundos aprendizados com as críticas xamânicas, as formas político-organizativas dos povos e as múltiplas geografias de resistência da Abya Yala.

Laura Jane Gisloti, Universidade Federal da Grande Dourados

Professora Adjunta da Faculdade Intercultural Indígena (FAIND) Professora do Programa de Pós Graduação em Educação e Territorialidade (PPGET/FAIND) Professora do Programa de Pós Graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade (PPGECB/FCBA) Universidade Federal da Grande Dourado

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

BENITES, E.; MONFORT, G.; GISLOTI, L. J. TERRITORIALIDADES ORIGINÁRIAS E A COSMOLOGIA KAIOWÁ E GUARANI: AUTO-ORGANIZAÇÃO CONTRA O AGRONEGÓCIO, OS CRIMES SOCIOAMBIENTAIS E A PANDEMIA. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 38, 2021. DOI: 10.22456/1982-6524.114322. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/114322. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

DOSSIÊ